Feeds:
Posts
Comentários

ASTRONOMIA

Qual é a principal diferença entre planeta e satelite natural?

 

Planetas orbitam em torno do sol e satélites orbitam em torno de planetas.

 

 

 

Qual é a principal diferença entre planetas e estrelas?

A primeira é que o planeta não cintila como as estrelas. A segunda diferença: para pequenos intervalos de tempo podemos considerar as estrelas como fixas. Já os planetas, como a tradução da palavra diz, errante, movimentam-se em relação às estrelas.

 PLANETAS

Planeta é um corpo celeste orbitando uma estrela ou restos estelares, tem massa suficiente para haver rotação em torno de si (através da gravidade), tendo, ainda, limpado a vizinhança de sua órbita .

Na última década foram já descobertos mais de 200 planetas extra-solares, provando que a ocorrência destes corpos é universal.

Lista dos 8 planetas do Sistema Solar. Plutão é considerado planeta-anão.

Exoplanetas

Um exoplaneta (ou planeta extra-solar) é um planeta que orbita uma estrela que não seja o Sol e, desta forma, pertence a um sistema planetário distinto do nosso.

Embora a existência de exoplanetas tenha sido de há muito aventada, nenhum exoplaneta ao redor de estrelas da seqüência principal foi descoberto até a década de 1990. Todavia, desde então, algumas dúzias de exoplanetas vêm sendo descobertos a cada ano. A descoberta de exoplanetas levanta a possibilidade de que alguns deles possam abrigar vida extraterrestre. Atualmente, já foram catalogados mais de duzentos planetas extra-solares, mas a maioria indicou sempre condições inóspitas à existência de vida tal como é concebida em nosso planeta. Os planetas detectados até agora são, em sua maioria, do tamanho ou maior do que Júpiter, e giram na maioria das vezes em órbitas muito próximas da estrela mãe. Entretanto, os cientistas acreditam que isso se deve a limitações nas técnicas de detecção de planetas, e não porque essas condições sejam mais comuns.

 ESTRELAS

Uma estrela é um corpo celeste luminoso formado de plasma. Por causa de sua pressão interna, produz energia por fusão nuclear, transformando moléculas de hidrogênio em hélioA estrela mais próxima da Terra – depois do Sol, a principal responsável por sua iluminação – é Próxima Centauri, que fica a 40 trilhões de quilômetros, ou 4.2 anos-luz.

A energia emitida por uma estrela está associada a sua pressão interna, que possibilita um ambiente adequado à fusão nuclear, que produz energia, transformando moléculas de hidrogênio em hélio. Uma estrela tem de ter uma massa acima de um determinado valor crítico (aproximadamente 81 vezes a massa de Júpiter) para que a pressão interior seja suficiente para ocorrerem reações nucleares de fusão no seu interior. Corpos que não atingem esse limite, mas que ainda assim irradiam energia por compressão gravitacional chamam-se anãs castanhas (ou anã marrom) e são um tipo de corpo celeste na fronteira entre as estrelas e os planetas, como gigantes gasos.

As estrelas visíveis aparecem como pontos brilhantes e cintilantes (por causa de distorção óptica causada pela atmosfera) no céu noturno, à exceção do Sol que devido a sua proximidade é visto como um disco e é o responsável pela luz do dia. O uso comum da palavra estrela nem sempre reflete o verdadeiro objeto astronômico: todos os pontos cintilantes no céu são frequentemente chamados de estrelas, apesar de poder serem planetas visíveis, meteoros (estrela cadente), galáxias, nebulosas, cometas ou até mesmo um sistema binário formado por duas estrelas, como é o caso de Alpha Crux, que constitui a extremidade mais brilhante do Cruzeiro do Sul (ou Crux).

Classificação das estrelas

As estrelas diferem na sua massa, composição e brilho absoluto (não o brilho aparente, que varia com a sua distância ao ponto de observação). Ao longo da vida de uma estrela, a sua massa e composição se alteram gradativamente devido aos processo de fusão nuclear.

Segue-se uma pequena lista de alguns dos objectos estelares mais “exóticos”:

  • anã castanha (ou anã marrom) – é um objeto de pouca luminosidade que não consegue iniciar a fusão de hidrogênio em seu núcleo. Sendo mais pesada que um planeta, mas não tão maciça quanto uma estrela, as anãs marrons são consideradas estrelas fracassadas. PLUTÃO passou da categoria de planeta à anã marron recentemente.
  • anã branca – resultado final da vida de uma estrela de média grandeza, uma anã branca é o núcleo que resta da estrela depois que ela ejeta as suas camadas exteriores.
  • estrela de nêutrons – o que resta depois da explosão de uma supernova. É um objecto extremamente denso, mas não tanto como um buraco negro.
  • buraco negro – objecto em que a gravidade é tão intensa que nem a luz lhe consegue escapar, que pode ser formado a partir de explosões de estrelas supermassivas, que colapsam num buraco negro.

 

SATÉLITES NATURAIS

Um satélite natural ou lua (em letra minúscula) ou ainda planeta secundário é um corpo celeste que orbita um planeta ou outro corpo menor. Dessa forma, o termo satélite natural poderia se referir a planetas anões orbitando a uma estrela, ou até uma galáxia anã orbitando uma galáxia maior. Porém, ele é normalmente um sinônimo de lua, usado para identificar satélites não-artificiais de planetas, planetas anões ou pequenos planetas. Por exemplo, a Lua é o satélite natural da Terra.

Há 240 objetos no Sistema Solar classificados como luas. Dentre esses, 166 orbitam 8 planetas, 4 orbitam planetas anões e mais algumas dezenas orbitam corpos menores do sistema solar.

Porém, algumas luas são maiores que alguns planetas principais.  Assim sendo estes satélites, se não orbitassem planetas, seriam eles mesmos planetas. Apesar disso, existem outros satélites que são muito menores e têm menos de 5 km de diâmetro, como várias luas do planeta Júpiter.

VIA LÁCTEA

A Via Láctea é a galáxia onde está localizado o Sistema Solar da Terra. É uma estrutura constituída por cerca de duzentos bilhões[1] de estrelas  e tem uma massa de cerca de um trilhão e 750 bilhões de massas solares. Sua idade está calculada entre treze e vinte bilhões de anos.

Estrutura

São seis partes que constituem a Via Láctea: núcleo, bulbo central, disco, os braços espirais, o componente esférico e o halo.

Núcleo

O núcleo está localizado no centro do sistema, tem a forma de uma esfera achatada e é igualmente constituído por estrelas, mas de idade mais avançada (chamada de população 2), apresentando por isso uma cor mais avermelhada do que o disco. Tem um diâmetro calculado em cerca de cem mil anos-luz e uma altura de trinta mil anos-luz, sendo uma fonte de intensa radiação eletromagnética, provavelmente devido à existência de um buraco-negro no seu centro. Este é envolto por um disco de gás a alta temperatura e por partículas de poeira interestelar que o ocultam, absorvendo a luz visível e a radiação ultravioleta. Porém, na faixa de radiofreqüência é detectável com certa facilidade.

O buraco negro central recebeu o nome de Sagittarius A, sua massa foi estimada em aproximadamente quatro milhões de vezes a massa do Sol. Ao seu redor parece haver indicação da presença de nuvens de gás em rápido movimento e ionizadas. Esta é devida a fortes emissões de raios X e radiação infravermelha provenientes núcleo galáctico.

Bulbo central

O bulbo central galáctico é em torno do núcleo galáctico, sua forma é esférica e constituído principalmente por estrelas do tipo população 2 (estrelas velhas). Esta região da galáxia é rica em elementos pesados. Também estão presentes aglomerados globulares de estrelas semelhantes (de mesma composição), e suas órbitas são aproximadamente radiais ao redor do núcleo.

Disco

O disco é a parte mais visível da galáxia, e é nesta estrutura sobre a qual repousam os braços da Via Láctea; sua espessura equivale a um quinto de seu diâmetro. Constituído pela população mais jovem de estrelas (chamada de população 1) de cor azulada, por nuvens de poeira, gás e por aglomerados estelares. As estrelas do disco, têm um movimento de translação em volta do núcleo. Todas as estrelas que observamos no céu nocturno, estão localizadas no disco galáctico.

Braços espirais

Até 1953 não se conhecia a existência de braços espirais na Via Láctea. A visualização da estrutura espiral era ocultada pela poeira interestelar e dificultada por ser efectuada do interior da própria galáxia. Até 2008 acreditava-se que possuia 4 braços mas imagens reveladas pelo telescópio Spitzer vieram refazer uma teoria de décadas como acreditavam todos os astrónomos. Esta descoberta vem confirmar que a Via Láctea tem apenas três braços, Centauro, Perseu e Órion, ambos de enorme densidade com estrelas jovens e brilhantes, mas também com estrelas velhas. Desta forma, a Via-Láctea é classificada como sendo uma galáxia espiral e seus braços estão em movimento rotatório em torno do núcleo à semelhança de um grande cata-vento. É no braço de Órion que está localizado o nosso sistema solar. O Sol efetua uma rotação completa a cada duzentos milhões de anos e está localizado a cerca de 27 mil anos-luz do centro galáctico.

Componente esférico

A forma de disco da Via Láctea não é compacta, o centro e o bulbo central configuram uma região chamada de componente esférico. As estrelas compreendidas nesta são do tipo 1 e tipo 2, estando distribuídas de forma mais ou menos uniforme. Esta região é envolta pelo Halo e somente identificável de forma indireta.

Halo

O halo tem uma forma esférica e é constituída por partículas ultra excitadas a alta temperatura, anãs vermelhas, anãs brancas e por aglomerados globulares, que estão em órbita em torno do centro de massa galáctica. O halo, como tal, não é observável opticamente. As estrelas que formam os aglomerados globulares (de forma esférica) são as mais antigas da galáxia. Por ser o componente menos conhecido da Via Láctea, supõe-se que sua estrutura seja gigantesca. O Halo envolve toda a estrutura visível da galáxia. Sua existência é demonstrada pelos efeitos provocados na curva de rotação externa da galáxia. É sabido, porém, que o halo se estende para além de cem mil anos-luz do centro galáctico. A sua massa gira entre cinco ou dez vezes maior do que a massa restante da galáxia. Sua forma, seus componentes e seus limites no espaço intergaláctico são desconhecidos até o início do século XXI, e muitas das afirmações acerca do halo são especulações científicas.

A rotação galáctica

A Via Láctea descreve como um todo um movimento de rotação. Seus componentes não se deslocam à mesma velocidade. As estrelas que estão a uma distância maior do centro, movem-se a velocidades mais baixas do que as mais próximas.

O Sol descreve uma órbita que pode ser considerada circular. Sua velocidade relativa ao Universo, gira em torno de 225 km/s, seu período de revolução é de aproximadamente de duzentos milhões de anos.

SISTEMA SOLAR

O Sistema Solar tem como elemento principal uma estrela anã e amarela com cerca de cinco bilhões de anos de idade – o Sol. Ao redor dela nós encontramos planetas, planetas anões, satélites, meteoróides, asteróides e cometas distribuídos numa extensa região de quase vinte bilhões de quilômetros. Da nuvem estelar que deu origem a nossa estrela e demais corpos há mais de cinco bilhões de anos, 99,9% de sua massa formou o Sol e o restante 0,1% pertence aos demais corpos do Sistema Solar.

Os planetas do Sistema Solar são divididos habitualmente em dois grupos: Os quatro primeiros a partir do Sol são os planetas terrestres, ou telúricos, ou interiores (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte) e os quatro seguintes são os planetas jovianos ou exteriores (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno). Devido à grande distância e à natureza da vizinhança ao redor de Plultão, hoje ele está classificado como um planeta anão.

- Os planetas terrestres apresentam: massa pequena, grande densidade, pequena distância do Sol, poucos ou nenhum satélite e são compostos de elementos pesados.

- Os planetas jovianos apresentam: grande massa, pequena densidade, grande distância do Sol, muitos satélites e são compostos de elementos leves, principalmente hidrogênio e hélio.

Temos uma nova definição nas  regras básicas que definem os corpos do Sistema Solar:
(1) Um “planeta” é um corpo celestial que deve:

(a) estar em órbita ao redor do Sol,
(b) ter massa suficiente  para sua auto-gravidade dominar as forças de um corpo rígido e desse modo ele assumir um equilíbrio hidrostático (aproximadamente arredondado) na forma,
(c) ter a sua vizinhança limpa ao longo de sua órbita.

(2) Um “planeta anão” é um corpo celestial que:

(a) estar em órbita ao redor do Sol,
(b) ter massa suficiente  para sua auto-gravidade dominar as forças de um corpo rígido e desse modo ele assume um equilíbrio hidrostático (aproximadamente arredondado) na forma,
(c) não ter a sua vizinhança limpa ao longo de sua órbita.

 Todos os outros objetos, exceto os satélites orbitando o Sol, deverão ser referidos pelo coletivo “Corpos Pequenos do Sistema Solar”

ANIMAIS EXÓTICOS

5 ANIMAIS GIGANTES

Pteropus vampyrus, o maior morcego do mundo
Apesar do nome, sua dieta é constituída basicamente de frutas e com uma envergadura que pode superar 1,5 metro, está espécie é conhecida por raposa-voadora, pois apesar de ser um morcego, o seu tamanho e aparência lembram bastante uma raposa. Esse animal incrível é encontrado em países como Indonésia, Tailândia, Malásia, Mianmar e Camboja, mas somente na Malásia, 22 mil morcegos são caçados legalmente todo ano, e um número ainda desconhecido é morto de forma ilegal, na maioria das vezes para alimentação (eca, mil vezes eca).

Crabzilla, o caranguejo monstro
O seu apelido foi criado com a união de crab, caranguejo em inglês, com Godzilla, o monstro. Esses animais fantásticos são encontrados em águas profundas – mais de 300 metros – no Oceano Pacífico, suas patas ultrapassam facilmente os 2 metros de comprimento e são considerados uma iguaria rara no Japão, onde são conhecidos como caranguejos aranha (bem apropriado).

 
Tridacna gigas, a ostra-gigante
Conhecida popularmente por ostra-gigante, esse é o maior molusco bivalve do planeta, chegando a medir mais de 1,2 metros de comprimento e pesar mais de 200 kg. Ela é encontrada no Oceano Índico, geralmente oculta nos recifes e camuflada pelas algas e corais que crescem em sua concha. Por muitos anos as conchas dessas ostras foram utilizadas como banheiras e até como pias de batismo na Europa.

 
Andrias japonicus, a maior salamandra que existe
Hanzaki, como é chamada no Japão, é simplesmente o maior anfíbio do mundo, podendo alcançar 1,7 metros de comprimento. Elas ocupam covas em margens de rios e se alimentam de peixes ou qualquer outro animal de pequeno porte que cruzar o seu caminho. Elas vivem em grupos de machos e fêmeas onde apenas um macho é o dominante, mas apesar do tamanho, se sabe muito pouco sobre o modo de vida da salamandra-gigante.

A lula-colossal
Guardei o melhor para o final, agora sim um animal gigante, os outros eram grandes, mas essa espécie de lula é enorme, colossal como já diz o próprio nome. Acredita-se que ela possa superar a marca dos 14 metros – alguns relatos do Atlântico Norte mencionam lulas com mais de 18 metros – e pesar quase uma tonelada, mas a grande profundidade em que vive e o fato de praticamente só ser encontrada em mares gelados e escuros dificulta qualquer expedição científica que deseje estudar a criatura.

DRAGÃO AZUL

 O tamanho normal dessa espécie é entre 5 e 8 cm de comprimento. É cinza prateado, no lado dorsal e escuro e azul claro ventralmente.

Ele tem listras azuis escuras ao longo da borda de sua parte inferior . Tem um corpo afilado, que é achatado e tem seis apêndices que se ramificam em raios.

Ele é distribuído nos oceanos do mundo, em águas temperadas e tropicais. Regiões onde esta lesma encontra-se incluem o leste e sul da Africa do Sul, nas aguas europeias e Moçambique.

Esta espécie flutua de cabeça para baixo sobre a tensão superficial do oceano.

OLM

 Esse anfíbio é mais comum em cavernas profundas e escuras na Europa (principalmente na Eslovênia). Foi identificado como um dragão bebê por causa de sua aparência bizarra. É completamente cego, aquático, e sua pele lembra a pele humana.

POLVO MANTA 

Ok, não há algo como um polvo que pareça normal – principalmente depois de Paul, o Polvo vidente da Copa do Mundo. Eles têm três corações, saliva venenosa, bico de papagaio e braços auto-suficientes que parecem pensar por si mesmos (de acordo com especialistas eles não respondem a comandos do cérebro). Mas podemos dizer que há alguns polvos que são mais bizarros do que outros, como no caso de Paul. Mas há uma espécie, chamada de polvo manta que, fisicamente, é bem mais bizarro do que nosso adivinho preferido. A fêmea é 40mil vezes mais pesada que o macho (sim, você leu corretamente, quarenta mil vezes). O macho tem apenas 2,4 cm e vive como um plâncton qualquer. A fêmea pode chegar a dois metros de comprimento e tem uma membrana similar a um lençol (de onde vem o nome da espécie). 

RÃ DE VIDRO 

O que faz com que essa rã pareça tão surreal é sua pele transparente. Ela vive nas selvas tropicais americanas e pode ser usada nas aulas de anatomia do ensino médio sem ser dissecada. Dá para ver todos os órgãos dela através de sua pele.

PEIXE MACHADO

Pode-se dizer que o peixe-machado é tão bizarro que até vive, de certa forma, em um mundo diferente do nosso. Esse peixe de águas profundas é encontrado em todos os oceanos (exceto em regiões mais frias). Ele produz luzes para atrair suas presas e se alimentar. Parece um peixe assustador, mas tem apenas alguns centímetros de comprimento e não representa ameaça para humanos. 

 Antílope Saiga

Um animal que vai acabar extinto pelo Homem, e por incrível que pareça, quase ninguém o conhece. Só existem 50.000 exemplares dessa coisa estranha de chifres. Ele vive em lugares remotos como matas e florestas do Casaquistão e lugares isolados da Mongólia.

Elephant Shrew

Parece um tipo de rato com uma trombinha de elefante. Este bicho é estranho, mas é altamente adaptável, ocupando vastas extensões da Àfrica. Ele pode ser visto em montanhas, florestas, desertos, etc.

Equidna de tromba

Falando em tromba, este bicho é um dos poucos mamíferos no planeta que colocam ovos. Ele tem uma tromba estranha parecida com a do tamanduá e seu corpo é coberto de espinhos. Este é um animal nativo da Nova Guiné.


Jeroba de orelhas grandes

Jeroba de orelha grande cai bem pra esse tipo de coelho-rato orelhudo do deserto.

Este animal parece um micro-canguru do tamanho de um rato. Ele vive nos desertos da Mongólia e China e está ameaçado de extinção.

Peixe-sapo cabeludo

Os filamentos são partes do animal e são usados para fins de camuflagem predatorial. Este aqui foi visto nas águas da Indonésia, mas os peixes-sapo podem ser vistos em uma vasta região oceânica. Mais comumente em recifes de corais e águas rasas.

Foca elefante

Este bicho é um mamífero gigante do ártico que pode chegar a dimensões três vezes maiores que uma vaca!

Maribu

Este é considerado por muitos um dos pássaros mais feios do mundo.Sua característica é o bico que parece sujo, o olhar de doido e este tipo de cabelo nauseabundo cobrindo-lhe a cabeças em tufos.
Natural da África.

Macaco balofo de Ohama

Estes macacos obesos (cerca de 50) são famosos no parque Ohama em Osaka, no Japão, onde os visitantes jogam guloseimas para eles o dia todo.

Macaco sem nariz (Rhinopithicus bieti)

Ainda na seção dos primatas, temos o estranho macaco sem nariz. O bicho é raro e natural da China. O nariz dele é isso aí que você está vendo.

 

Peixes-bruxa ou enguias-de-casulo (Hagfish)

Este animal, é um vertebrado marinho, não propriamente um peixe, devido a pertencer a uma raça mas antiga que à que se denomina peixe. É o prato preferido dos Coreanos.

Camarão Mantis

O camarão mantis é considerado por especialistas o bicho com a mais incrível visão de todo o reino animal conhecido.

Simplificando um pouco, o ser humano que considera ter uma boa visão, tem três tipos de células de recepção visual. Este minúsculo camarão de cor psicodélica tem nada menos que 16. Isso permite ao bicho ver nada menos que 100.000 cores que nós não sabemos que existem. As células oculares deste camarão dão a ele capacidades de perceber a luz em polarizações lineares completamente diferentes.

Lagartixa rabo-de-folha-gigante (Uroplatus phantasticus)

A largartixa rabo-de-folha-gigante é um animal que devora pequenos insetos e vive nas florestas de Madagascar.

Rato canguru. (Dipodomys simulans)

Um bicho que nunca bebe água em toda sua vida. Este animal vive no deserto e não precisar beber água foi uma evolução necessária para habitar lugares tão inóspitos. O pouco líquido que este animal conhece provém de sua dieta de insetos e raízes. O rato canguru pode ser encontrado no sudoeste dos EUA.

serpente Trimeresurus gumprechti

 

Encontrada na região do sudeste Asiático, essa serpente é um pesadelo, e causa grande pavor quando encontrada. E você encararia uma dessas?
O peixe serpente


O peixe serpente pelas características que possui parece vindo dos piores filmes de terror, com um apetite voraz, pode comer todos os peixes de um lago ou lagoa, ou até mesmo outros da sua espécie. É capaz de arrastar-se pelo chão, podendo ficar fora da água por até três dias para encontrar novas presas que sirvam de alimento. A maioria deles podem atingir de 2 a 3 metros de comprimento e devido à sua capacidade de destruir ecossistemas locais, 13 estados americanos proibiram qualquer criação e reprodução deste peixe em seus territórios.
O gigante isopod
 Este predador carnívoro é um crustáceo que vive nas profundezas dos oceanos, onde a luz não é capaz de atingir. Se alimenta de outros animais marinhos e até mesmo de restos de peixes podres.Helicocranchia pfefferi

Você sabe o que é essa bolinha sorridente e cabeluda? É a Helicocranchia pfefferi, uma criatura oceânica também conhecida como polvo-porco.

O “cabelo” são os tentáculos do polvo, que ficam enrolados sobre sua cabeça. O sorriso é feito por um pigmento que ele apresenta na pele.

Ele tem apenas 10 centímetros e é normalmente encontrado em locais escuros e profundos, a mais de 90 metros abaixo da superfície do mar.

 FONTE: www.animaisexoticos.zip.net

FONTE: http://forum.outerspace.terra.com.br/showthread.php?t=156821

 

Os bichos mais estranhos do mundo

julho 1, 2008 <!–Blog CNN–>

1 – Alpaca: A alpaca é um mamífero sul-americano estreitamente aparentado com a lhama.A alpaca é um animal principalmente do norte argentino, da família dos camélidos. É menor que ela e sua pelagem é mais longa e macia. É criada no Peru, Chile e na Bolívia(região dos Andes)como fonte financeira principal, para o aproveitamento da lã. O hábito de cuspir também é comum na alpaca, que o utiliza para mostrar agressividade ou como método de defesa.

By Samara

Colaboração do MD

Clique em “more” para ver mais imagens

2 – Sagui Imperador (Emperor Tamarin): Pode ser encontrado na zona sudoeste da Amazônia entre Peru e Bolívia

3 – Sagui da cara branca (White-faced Saki Monkey): É um macaquinho que pode ser encontrado na Amazônia Brasileira, Guiana Francesa e na Venezuela

4 – Anta (Tapir): Habita as regiões de selva e bosque da America do Sul, Central e Sudeste da Ásia.

5 – Urso malaio (Sun Bear):Encontrado nos bosques do Sudeste da Ásia, é o menor da família dos ursos atingindo no máximo 1,2metros.

6 – Peixes-bruxa ou enguias-de-casulo (Hagfish):Este animal, é um vertebrado marinho, não propriamente um peixe, devido a pertencer a uma raça mas antiga que à que se denomina peixe. É o prato preferido dos Coreanos.

7 – Toupeira do nariz estrelado (Star-nosed Mole):É uma pequena toupeira encontrada tanto no Canadá quanto nos EUA.

8 – Macaco narigudo (Proboscis Monkey):Este singular macaco habita os mangues e seu nome popular deriva do fato dos machos possuírem um nariz longo e flexível, que se crê tem importância na escolha da e pela parceira sexual. Só existe na ilha de Bornéu

9- Tatu fada rosa (Pink Fairy Armadillo): É o menor de sua raça e pode ser encontrado nos pastos secos de toda a área central da Argentina.

10 – Axolote (Axolotl): Esta é a classe mais conhecida das salamandras mexicanas, é uma espécie de anfíbio caudado e são muito usadas como animais de estimação nos EUA, Inglaterra e Japão.

11 – Ai-Ai (Aye-Aye):é um primata nativo, ameaçado de extinção, de Madagascar. Noturno e arborícola, possui pelo negro e um dos seus dedos é maior, que usa para conseguir caçar larvas nos buracos das árvores. Os seus olhos são grandes e possui boa visão noturna.

12 – Tarsius (Tarsier): São pequenos primatas que possuem grandes olhos que os ajudam a desenvolver as suas normais atividades noturnas e que recebem este nome pelo alongado osso tarso no pé. Podem ser encontrados nas florestas do Brunei, da Indonésia e da Malásia. É carnívoro, alimentando-se principalmente de insetos, mas também de pequenos vertebrados. Um único indivíduo poderá consumir até 10% do seu peso em apenas um dia. Possuem um olfato e audição apurados. É também uma espécie ameaçada de extinção.

13 – Polvo Dumbo (Dumbo Octopus) Polvos comumente chamados de Polvos Dumbo pelas orelhas parecidas com o personagem da Disney. São criaturas que vivem em profundidades extremas e são os mais raros da espécie dos Octopuses.

14 – Lagarto com pescoço de rufo ou Dragão rufado(Frill-necked Lizard): São lagartos que podem ser encontrados na Nova Guiné e Austrália.

15 – Cão Komondor: Raça de cão pastoreiro originária da Hungria, sua pelagem assemelha-se a um penteado “dreadlocks”.

16 – Coelho Angorá (Angora Rabbit): O coelho Angorá é uma variedade de coelho doméstico criada pelo seu pêlo longo e macio. O Angorá é um dos tipos mais antigos de coelho doméstico, originado em Ankara, Turquia, junto com o gato de Angorá e a cabra de Angorá.

17 – Narval (Narwhal) O narval é um mamífero cetáceo de grande porte, que também inclui a beluga, com 4 a 5 metros de comprimento e cerca de 1,5 toneladas de peso, característico das águas frias em torno do círculo polar ártico. Os machos tem um dente incisivo superior esquerdo, que se encontra enrolado em espiral e que se projeta como um chifre. Este dente é feito de marfim e pode atingir até 3 metros de comprimento. A presa do macho do narval é fonte de marfim de valor comercial e constitui um atrativo à caça da espécie. Cerca de um macho em 500 tem duas presas em vez de uma.

18 – Morcego de pés com ventosa (Sucker-footed Bat) Originário de Madagascar, está ameaçado de extinção por causa da destruição de seu habitat natural.

19 – Mico de bolso ou Mico pigmeu (Pygmy Marmoset): Diminuto primata nativo de quase toda mata Amazônica. É o menor dos primatas: seu corpo mede de 14 a 18 cm e a cauda entre 15 e 20 cm. Os machos pesam cerca de 140 gramas e as fêmeas, cerca de 120 g.

20 – Panda Vermelho(Red Panda): O panda-vermelho, também conhecido como Panda de Fogo, é o único mamífero, previamente classificado nas famílias dos guaxinins e ursos. Esta espécie é nativa dos Himalaias e sul da China e há indicações do registo fóssil de que tenha existido também na América do Norte. É o animal oficial do estado indiano de Sikkim.

21 – Peixe Bolha (Blobfish): É um peixe que habita as águas profundas nas costas da Austrália e Tasmânia. Devido à inacessibilidade de seu hábitat, é raramente visto por humanos. Estes peixes podem ser encontrados em profundidades onde a pressão é dezenas vezes maior que ao nível do mar. Para permanecer flutuando sem gastar energia para nadar, o corpo do peixe é ligeiramente uma massa gelatinosa com uma densidade menor do que da água.

22 – Bico de sapato (Shoebill)O bico de sapato é um pássaro enorme aparentado com as cegonhas. Seu nome advém da forma de seu enorme bico e sua dieta compõe-se de peixes e rãs que caça nas paradas águas da África tropical e oriental, particularmente em Uganda. Sabe-se muito pouco dos costumes e origens desta ave sumamente difícil de ser observada em seu habitat natural, em parte devido a encontrar-se em perigo de extinção. Calcula-se que existam hoje mais exemplares em cativeiros nos zoológicos europeus do que na natureza.

23 – Bicho-Preguiça (Sloth) ë um mamífero da mesma ordem dos tatus e tamanduás, que podem ter 3 ou 2 dedos com garras longas pelas quais ela se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça.

24 – Lagosta de Yeti (Yeti Crab): É um crustáceo com aproximadamente 15 cm descoberto em 2005 no Pacífico Sul a 1.500 km ao sul de Ilha de Páscoa a uma profundidade de 2,200 m.

25 – Cacajao (Uakari): Cacajao é um género de primatas que inclui os animais conhecidos habitualmente por uacaris.Estes macacos, típicos da Floresta Amazônica, distinguem-se pelo tamanho da cauda, menor que o comprimento do corpo, pela ausência de pelos na região da cara e pela ausência de gordura corporal que lhe confere uma aparência quase esquelética.

26 – Mata Mata: É uma tartaruga predominantemente encontrada na América do Sul. É quase impossível confundi-la com qualquer outra tartaruga. A mata mata é realmente única já que sua cabeça é bastante distinta, triangular, grande, extremamente achatada. Tem numerosas abas de pele.

27 – Caranguejo-dos-coqueiros (Coconut Crab):O caranguejo-dos-coqueiros é um grande crustáceo terrestre, encontrado em diversas ilhas tropicais dos oceanos Indico e Pacífico e relacionado aos ermitãos, mas diferindo destes por apresentar o abdômen flexionado e sem a proteção de uma concha de molusco. Alimentam-se principalmente de matéria vegetal, incluindo cocos caídos no chão. Também são conhecidos por ladrão-de-coco.

FONTE: http://curiosidadesnanet.wordpress.com/2008/07/01/os-bichos-mais-estranhos-do-mundo/

Escondidos no fundo do mar, esses animais são tão estranhos quanto desconhecidos. A bióloga marinha Ellen Prager fez uma compilação fotográfica dos seres mais diferentes que habitam nossos oceanos. O livro “Sex, Drugs and Sea Slime” (em tradução livre, sexo, drogas e criaturas do mar). As cores e formatos inusitados estão entre suas estratégias de sobrevivência. Confira alguns dos mais curiosos:

Jawfish
O peixe macho da espécie Opistognathus aurifrons não está comendo, é que ele faz a encubação de seus ovos na boca mesmo.

Editora Globo

Crédito: Steven Kovacs

Nudibrânquio
Esses moluscos são formados por mais de 3 mil espécies diferentes. As cores fortes ajudam o animal a se camuflar entre os recifes de corais. Algumas espécies são canibais.

Editora Globo

Diane Armstrong/SeaPics.com

>> Veja equipamentos usados em mineração no fundo mar

>> Conheça os seres mais raros do Oceano Atlântico

Os ovos do nudibrânquio
Essa espécie é apelidada de “ovo frito”. A espiral amarela mais clara na imagem são os ovos do molusco. A cor forte ajuda a assustar possíveis predadores, é como se o animal dissesse “não me coma, sou venenoso”.

Editora Globo

© Mark Strickland/SeaPics.com

Moluscos de concha
Quase nem lembramos que as conchas são animais e como todos os seres vivos, precisam se reproduzir. Esses têm um pênis com o comprimento da metade do corpo. Todo esse tamanho serve para que o animal consiga acasalar com a fêmea sem sair da segurança de sua concha. Mesmo assim seu pênis corre um certo risco, mas não há problema, ele pode ser regenerado.

Editora Globo

Diane Armstrong/SeaPics.com

Cavalo marinho anão
Quem nunca viu um cavalo marinho pode até imaginar criaturas corpulentas. Mas os animais são, na realidade, bem pequenos. Mas os pigmeus são menores ainda, medem menos de 3 centímetros. Eles podem imitar as cores do ambiente para se esconder de predadores.

Editora Globo

FONTE: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI232944-17770,00-ANIMAIS+ESTRANHOS+DO+FUNDO+DO+MAR.html

PEIXES BIZARROS DE ALTAS PROFUNDIDADES

julho 15, 2011 por arquivom | Editar

Poderíamos sintetizar o mundo em que vivemos em duas partes. A parte rasa e a parte funda. Dos animais da parte rasa, conhecemos um monte. Leão, cabra, onça, coruja, insetos, vermes, crustáceos, peixes… Milhões deles.
Dos animais da parte profunda, conhecemos apenas uma pequena parte. A grande maioria só foi vista pela primeira vez nas últimas duas décadas.

Estes animais vivem em fossas abissais, lugares onde a luz não chega. É um mundo diferente, com a pressão capaz de explodir até uma baleia. A tecnologia está permitindo que sondas possam atingir profundidades até então impossíveis, e com isso, um novo olhar sobre o desconhecido e escuro fosso abissal marinho nos permite ver algumas das mais estranhas criaturas. São seres que poderiam estar em qualquer filme de monstros, Ets e talvez, quem sabe, até no seu mais aterrorizante pesadelo.

Quimeras ou tubarão fantasma.
Este estranho animal é um peixe cartilaginoso que está entre o tubarão e a arraia. Ele tem este estranho nariz protuberante com o qual vasculha o fundo gosmento do oceano em busca de sua preza. O nariz é cheio de terminações que detectam os mais frágeis impulsos elétricos. É como se o animal tivesse um detector de metais no nariz. Ele também tem este espinho venenoso na nadadeira dorsal.875355748 d367148336 o Peixes bizarros de altas profundidades875355800 26647381ca o Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe víbora
Um nome apropriado para esta coisinha que ficaria bem num aquário do capeta. Os dentões e o maxilar inferior prognato são para conseguir morder a presa na escuridão.875355806 0d484e07dc o Peixes bizarros de altas profundidades874448092 54b37338f9 Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe pelicano – Basicamente é um estômago com olhos e cauda. O bicho é considerado o animal com a maior abertura de boca no planeta.874447748 3f61e9220a Peixes bizarros de altas profundidades

Lula Dana – Esta lula enorme habita as fossas abissais e usa um truque curioso para desorientar suas presas. Ela bate um flash como o de uma máquina fotográfica. Na escuridão completa, um flash funciona como aquelas bombas usadas pelo FBI para invadir cativeiros. As presas ficam boladas tentando entender o que aconteceu. Aí a lula vai lá e… Nhac!874447458 c54ee93191 Peixes bizarros de altas profundidades

Lula Gigante – A lula gigante é um animal cujo nome já é uma bela descrição. Até recentemente os oceanógrafos questionavam-se se a lula gigante seria uma presa ou um predador das baleias cachalote. Recentemente descobriu-se que as lulas gigantes são presas até uma idade. A partir de determinado tamanho elas são predadoras. Isso significa que elas comem baleias. Esta aí da foto é um filhote.873688713 7f38fb68e0 Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe sol (ou lua) – Este é considerado um dos maiores peixes do oceano. Seu peso pode passar de uma tonelada. Sua forma é uma das mais bizarras. Ele é pacífico e muito curioso.873597871 f49c9ca397 Peixes bizarros de altas profundidades

Stargazer – Peixe com nome de seriado de Tv! E deve ser de terror a julgar pelas características desse bicho. Ele tem olhos na cabeça. Atrás das guelras e na nadadeira dorsal tem espinhos venenosos,não obstante, ele ainda dá choque. Olha só o visual do infeliz.874571430 b0c9327edb Peixes bizarros de altas profundidades873721829 3adb70a2ce Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe Grenadier – Tem uma cabeça enorme, mas logo após a cabeça, o corpo é pequeno e termina numa comprida cauda serpentiforme. Um peixe estranho. E também, por que não dizer, feiobragaraio!874446150 5e8ca48b4b Peixes bizarros de altas profundidades873591559 de82c8816b Peixes bizarros de altas profundidades873593865 7adb3d2c56 Peixes bizarros de altas profundidades

Oarfish – Você acha que já viu os mais bizarros do oceano? Então olha bem pra isso aqui. Nem parece um peixe. O Oarfish é um treco compridão em forma de lâmina. Ele pode alcançar tamanhos inacreditáveis. O bizarro dele é que ele nada verticalmente.873595795 dffbabd2d3 Peixes bizarros de altas profundidades873596175 9b7c0c901c Peixes bizarros de altas profundidades

Tubarão mega-boca – descoberto em 1976 só poucos foram vistos. Registros em filme então, menos ainda, só 3. É um tubarão mesmo, porém muito, muito raro.873594773 24a8102ea7 Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe ogre – Um belo dum bicho feio. Se precisar de monstro, está aí a melhor escolha. O peixe ogre tem esta aparência feroz.Uma cabeça de ossatura grosseira e belos olhos de psicopata.873593405 69734ab278 Peixes bizarros de altas profundidades874442868 059b4000d2 Peixes bizarros de altas profundidades

Lula fada – Ela muda de cor e projeta inúmeras cores para atrair e hipnotizar seu jantar.873593645 6f3ff41a77 Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe mão – Ele anda. Isso mesmo, anda pelo fundo do mar. Parece um lagarto andando pelo fundo.874443482 23f788447c Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe-caixão – Ele é bem comum em águas profundas de todo o mundo. Quando sente-se ameaçado, engole água e vira uma bola. Um recurso comum nos baiacus.873593283 62aa49aedd Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe dragão – Ele usa este barbilhão muscular que fica remexendo como se fosse um verme. O barbilhão emite quimioluminiscência, e os peixinhos otários vem comer a minhoquinha que tá ali, acesa no meio da escuridão, dando o maior mole… E então quando vêem, já estão nadando no aquário do São Pedro.873592179 7225aa9869 Peixes bizarros de altas profundidades

Polvo dos anéis azuis. Bonito e pequeno, do tamanho de uma bola de golfe, esconde um dos mais mortais e poderosos venenos conhecidos. Detalhe: Não há antídoto.874441848 9ee3ebee52 Peixes bizarros de altas profundidades

Peixe bolha – Eu falei dele no post dos animais mais bizarros do planeta. Ele é uma espécie de gelatina em forma de peixe. Sua densidade corporal equivale a da água. Assim ele fica só flanando pelo mar ao sabor das correntes abissais. Para justificar seu – literal – mole, ele tem este bocão imenso, já que não tem como correr atrás das presas.874441660 5e7ec05b2d Peixes bizarros de altas profundidades

O pepino do mar – Um animal bizarro. Não é peixe, nem crustáceo nem molusco e sim um equinodermata, como as estrelas do mar e o ouriço. Criatura bizarra que ganhou a entrada grátis nesse post por isso. Junto com os outros, moluscos como as lulas e o polvo.874442716 ed4708c7c6 Peixes bizarros de altas profundidades

Polvo dumbo – Também já falei deste no post das criaturas bizarras. Ele ganhou este nome graças as orelhinhas que tem na cabeça.874445860 ccd6c3b2f5 Peixes bizarros de altas profundidades

Anglerfish – Um peixe feio. Muito feio.
874445916 3caf150744 Peixes bizarros de altas profundidades874443676 794ab041ac Peixes bizarros de altas profundidades

Tubarão Goblin – Mais um raro ( e tenebroso) tubarão das profundezas.873598741 3e8acc3eca Peixes bizarros de altas profundidades

Prikly Shark – Tubarão de barbatana dupla
Prickly+Shark Peixes bizarros de altas profundidades
Polvo de brilho – Estranho… Muito estranho.glowing sucker octopus Peixes bizarros de altas profundidades

Lula vampiro – Nossa. Esse bicho é de matar de medo. Imagina você mergulhando naquela escuridão. Vira a lanterna para trás e a última coisa que vê é isso aí se aproximando de você…

[vampire_squid.JPG]

FONTE:

Com vocês, os mais estranhos bichos do fundo do mar!

2499634112 9bd4ca6b02 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

2499634002 1846d17d98 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

2499633602 6074870759 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

Isso é só uma amostra. Ao clicar no continue lendo, prenda a respiração, porque vamos fundo em busca desses animais. (se sua conexão é discada, só faça isso se você for louco, porque tem foto que não acaba mais!)


 

2499633886 a39ab058ae o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498806233 f99e81e938 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 


 

2499633510 b45db4d721 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498805917 bb32e82639 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499633230 68a918543a o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498805655 3f4b7d5236 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498805529 f0c5e8edea o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498805329 2fee78132b o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499632676 feb0a88709 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498805081 818d456ab1 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

Estes animais chama-se nudibrânquios. Nudibrânquio significa literalmente “com as brânquias ao nu”. Basicamente, este bicho é um caracol sem concha. Ele tem o aspecto de um babado, mas com muita mobilidade, sendo impelido por meio de movimentos ondulatórios de seu corpo. Esta sinuosidade de movimentos e as cores vistosas do seu manto, lhes deram o apelido de “dançarino espanhol”.

À primeira vista a pessoa poderia acreditar que é uma isca fácil mas não é como parece. O nudibrânquio não tem armas próprias que assegurem sua defesa perante os predadores, por isso deverá pedir emprestado. Com este fim, o nudibrânquio vai à procura de uma anêmona, animais imóveis que vivem fixos ao fundo e que são conhecidos por suas células urticantes. O nudibrânquio não só é imune ao veneno poderoso das anêmonas mas, ao ingerir o mesmo, acumula-o em suas brânquias onde trabalhará como um poderoso urticante aos que o atacarem para comer.

Existem cerca de 3000 espécies conhecidas no Mundo, quase todas de água salgada, desde as regiões tropicais até aos mares da Antártida. O seu tamanho varia entre os 3 mm e os 28 cm, medindo a maioria entre 5 a 7 cm.Os hábitos alimentares e as estratégias utilizadas por este grupo de seres vivos na defesa contra predadores, e no ataque a presas, são extremamente eficazes. Estão muito bem preparados para se defenderem dos predadores, normalmente peixes de pequeno e médio porte, uma vez que podem assumir a cor das suas presas, onde se refugiam. Esta característica é também extremamente útil quando pretendem atacar anêmonas, esponjas, etc.

Todas as espécies de nudibrânquios conhecidas são carnívoras, e a maioria são predadores especializados, muito selectivos no tipo de presas. Dentro de uma mesma família é normal encontrar diferentes espécies a alimentarem-se de presas muito semelhantes.

A reprodução do nudibrânquios não é menos espetacular. São animais hermafroditas onde cada metade é beneficiária simultânea de óvulos e espermas, ou seja, na cópula entre dois animais, ambos são fecundados mutuamente e ambos procriarão. Isso faz da vida de um nudibrânquio uma sacanagem espetacular. O hermafroditismo aumenta o potencial reprodutivo das espécies, uma vez que todos os indivíduos têm procriações e não apenas a metade deles.

Durante o acasalamento, dois nudibrânquios se posicionam lado a lado e introduzem uma massa, repleta de espermatozóides, no interior de uma abertura reprodutiva situada na região anterior do corpo. Dependendo da espécie, a cópula pode levar apenas alguns segundos ou então se prolongar por horas. Existe até mesmo o registro de um acasalamento que durou cerca de cinco dias!

Os espermatozóides são armazenados no interior do organismo até que os óvulos estejam maduros e a fecundação ocorra. Milhares de ovos são então liberados na água do mar. Uma espécie de muco envolve os ovos, mantendo-os unidos, e permitindo que esta massa ovígera se fixe a um substrato, que, geralmente, é o corpo da presa predileta do adulto.

 

 

2498804871 0e268f487a o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498804723 7386d835f5 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499632220 90a9af1436 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499632142 15a78635cf o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498804459 a6ed139943 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499631882 33cef24343 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499631808 9ea340cae3 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499631704 c65d33d43f o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498803987 4183f31b27 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499631488 e647199546 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498803831 616eb41418 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499631264 6fa0ced403 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499631128 5798084901 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498803427 6d3f042557 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498803293 dc91ff891c o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498803223 c3b474a0cc o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499630756 8f37db17c3 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499630646 aff7d7a9c1 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499630518 cb47266884 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499630408 f526014d08 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498802721 8fdc8c43af o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499630150 7aaf092cd2 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499630048 5753cb30c6 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498802147 c0dfcce530 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498802029 5e18283a93 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498801879 24a752cc0b o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499629252 3f6eab4ea4 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498801649 8e2600469a o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499628998 39cd3f5d62 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499628902 7a406ba15e o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498801211 5510a9d317 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499628642 0a908a8650 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498800957 f6eccfbec6 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499628442 ce66084807 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498800747 99692d85ec o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499628184 44ded5bdd0 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499628042 5ba7d26c16 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498800331 d2f6817d48 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499627794 268dc4f3e6 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499627708 c6513d207a o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498800017 bafdb2fbc6 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498799913 31f855dfec o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498799823 9d39b571e2 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499627304 2672cdced2 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498799257 deb1b50e2d o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498799137 3345d53f3d o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499626718 5a12d78bcc o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499626606 3d237c4e27 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2498798773 04f4c0cafa o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

2499626330 6b22633839 o Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 Criaturas inacreditáveis do fundo do mar

 

 

No caso dos nudibrânquios, os filhotes quando nascem, já possuem veneno que os pais o transmitem de forma que podem se defender até achar sua própria anêmona fornecedora de veneno.

Talvez a coisa mais surpreendente é que os nudibrânquios não matam a anêmona, ficando satisfeitos ao consumir um ou dois dos seus braços, permitindo então ela se regenere. O por que desta atitude é uma pergunta que os cientistas procuram responder há muitos anos. Talvez a capacidade de seu estômago não lhe permite devorar uma anêmona inteira, ou seja algum tipo de evolução inteligente que faça com que o nudibrânquio queira preservar viva a fonte abastecedora do veneno que o mantém vivo. Talvez um raciocínio muito complicado para um caracol. Um raciocínio que os homens parecem não aplicar ou pelo menos não entender.
Todos os animais mostrados aqui são venenosos. Sua variação de cores, padrões e formas é tão grande que especialistas acreditam que apenas um percentual muito pequeno desses animais é conhecido pelo homem.

FONTE: http://www.mundogump.com.br/criaturas-inacreditaveis-do-fundo-do-mar/

OS GIGANTES DO MAR

Os gigantes do mar

As Baleias são os maiores seres vivos do planeta, alcançando 35 metros de comprimento e 150 toneladas, mesmo com toda sua majestade essas incríveis criaturas estão na lista das espécies mais ameaçadas de extinção: Das 11 espécies de grandes baleias, ao menos nove foram severamente afetadas pela ação predatória do homem, de acordo com o Sea World .
Baleia Franca

As baleias francas chegam a atingir cerca de 25 metros de comprimento e pesam quase 70 toneladas, são geralmente pretas com manchas de pele áspera conhecida como calosidades na cabeça.

Apesar de ameaçadas, as baleias franca vivem em todo o mundo, os cientistas acreditam existam aproximadamente 350 no Atlântico Norte, 100 no Pacífico Norte, e algumas milhares no hemisfério sul.

Cachalote

A cachalote é a maior baleia com dentes, com até 26 dentes em cada lado de sua mandíbula gigante, estimativas afirmam que mais de um milhão de cachalotes foram capturados no auge da indústria baleeira.
A cachalote foi incluída à Lei de Conservação de Espécies Ameaçadas de 1969 , Estima-se que existam entre 200.000 e 1,5 milhão de Cachalotes nos oceânos.

Baleia Piloto

As baleias-piloto, chegam a pesar 3.300 libras, é o maior dos membros da família Delphinidae, que inclui também os golfinhos (e as Orcas”baleia assassina”).
São fáceis de treinar e acredita-se serem tão esperto quanto roazes – e eles também são muito sociais, muitas vezes viajam em grandes grupos, segundo a Sociedade Americana de Cetáceos. Costumam nadar próximas a costa, é comum encontrar baleias pilotos encalhadas.

Esta baleia foi fotografada no Estreito de Gibraltar por um grupo de biólogos marinhos.


Baleia Azul

Acredita-se que esta seja a primeira foto de um bebê de baleia azul, este bebê gigante surpreendeu os cientistas ao largo da costa da Costa Rica, aproximando-se do barco, de acordo com a National Geographic. Normalmente, as mães protetoras iriam manter seus filhos longe.
A baleia azul é o maior mamífero do planeta, alcançando o comprimento de até 80 metros e pesando até 150 toneladas.

Mas seu tamanho não as protege do risco de extinção, com menos de 2.000 vivendo em estado selvagem em todo o mundo, após uma geração de caçadores humanos, seguiram-nos ferozmente de 1920 a 1960. As baleias azuis passam o Inverno em regiões quentes e no verão, águas mais frias – podem comer mais de 7.000 quilos de alimento em uma refeição.


Baleia Jubarte

As baleias jubarte são conhecidas por seu talento único – cantar. Suas canções podem ser ouvidas por outras baleias, e é usado para atrai-las durante o acasalamento, durante a alimentação, ou no cuidado das mães com seus filhotes.
Seu estilo de caça é também digno de nota: As jubartes trabalham juntas para encurralar os cardumes, com uma baleia soprando bolhas contra o cardume os forçando a cairem da armadilha.


Orca

A Orca (Orcinus orca) (popularmente conhecida como baleia-assassina) é o maior membro da família dos (Delphinidae) a mesma dos golfinhos. É um predador versátil, podendo comer peixes, moluscos, aves, tartarugas, ainda que, caçando em grupo, consigam capturar presas de tamanho maior, incluindo morsas e baleias. O nome baleia assassina provém da tradução direta do inglês “killer whale” e, mesmo sendo incorreto, tornou-se popular, especialmente entre os leigos. É um predador carnívoro, sendo considerada como um Animal de Topo na cadeia alimentar. Pode chegar a pesar nove toneladas. É o segundo mamífero de maior área de distribuição geográfica (logo a seguir ao homem), podendo encontrar-se em qualquer um dos oceanos.
Curiosidade

As orcas têm um sistema social de agrupamento bastante complexo. A unidade básica é a linha matriarcal que consiste numa única fêmea, mais velha, e os seus descendentes. Os filhos e filhas da matriarca fazem parte desta linha, tal como os filhos e filhas destas últimas filhas – contudo, os filhos e filhas de qualquer um dos filhos passarão a viver com a linha matriarcal das suas companheiras de acasalamento – e assim sucessivamente, ao longo da árvore genealógica destes animais. Como as fêmeas podem viver até cerca de noventa anos, não é raro encontrar quatro ou mesmo cinco gerações de orcas vivendo na mesma linha.

 Baleia Beluga

As baleias beluga possuem a cor branca devido sua adaptação ao frio, possuem uma espessa camada de gordura que a mantém quente nas águas do Ártico e um cume que substitui sua barbatana dorsal, para que possa nadar sob o gelo. Também se distingue de outras baleias em outro aspecto: as vértebras do pescoço da beluga não estão fundidas, para que ele possa virar a cabeça para os lados.

 Baleia Fin

Estas baleias vivem em todos os oceanos do planeta, onde enfrentam uma infinidade de ameaças: Acabam presas nas redes de pesca de navios pesqueiros, escasses de alimento devido pesca comercial e sua caça ilegal (foi proibida para sua caça desde 1976 , embora eles ainda possam ser capturadas na Groenlândia).
As baleias fin são a segunda maior baleia do planeta, com os bebês nascidos com peso de 6000 libras, alcançando 160.000 quando adultas.

Baleia Cinzenta

As baleias cinzentas passam o tempo migrando ao longo do oeste da América do Norte desde o Polo Ártico até a baixa Califórnia, segundo a Sociedade Americana de Cetáceos – que é onde você vai vê-los em expedições de observação de baleias.
Se você chegar perto o suficiente, você também pode ver manchas de cracas brancos que crescem sobre as baleias, e piolhos de baleia laranja, que se alimentam da pele morta das baleias.


Baleia Narval

O narval é um cetáceo de grande porte, com 4 a 5 metros de comprimento e cerca de 1,5 toneladas de peso. Tem uma coloração branca e cinza marmórea e é desprovido de barbatana dorsal. Os machos apresentam uma presa espiralada como um chifre. Este dente é feito de marfim e pode atingir até 3 metros de comprimento, quase de metade do comprimento do animal. Cerca de um macho em 500 tem duas presas em vez de uma.

Sua presa forma um órgão sensorial de tamanho e sensibilidade excepcionais, existem mais de 10 milhões de terminações nervosas saem do centro da presa em direção à sua superfície, em contato com o mundo exterior, permitindo detectar mudanças sutis de temperatura, pressão, gradientes de partículas e provavelmente muito mais, dando ao animal uma percepção única.

Os narvais vivem em pequenos grupos familiares de cerca de 5 a 10 indivíduos, que se reúnem em bandos maiores em zonas costeiras na época do Verão. Nestas alturas estabelece-se uma hierarquização social entre machos, através de lutas que envolvem a presa. Estes animais alimentam-se de bacalhau e outros peixes de águas frias, bem como de cefalópodes. O narval nada com frequência até grandes profundidades em mergulhos que duram até cerca de 15 minutos. A maior profundidade registada foi de 1164 metros e mergulhos até mil metros são comuns.

A população actual da espécie está estimada em cerca de 50 000 indivíduos.
Caça

Os narvais foram e continuam a ser caçados por causa das suas presas de marfim. Na Idade Média, a espécie foi explorada pelos vikings que colonizaram a Gronelândia e que faziam do marfim de narval uma das principais exportações da colónia para a Europa. Com o desaparecimento da colónia da Gronelândia, o narval passou a ser caçado apenas pelas tribos de inuit, que continuam com esta prática por métodos artesanais nos dias de hoje. Com a colonização do Canadá e o advento dos navios baleeiros, os narvais passaram a ser caçados em massa. Actualmente, a caça é permitida com restrições.


Tubarão Baleia

O tubarão-baleia (Rhincodon typus) é a única espécie da família Rhincodontidae, é conhecido como Tubarão Baleia devido ao seu gigantismo, vive em oceanos quentes e de clima tropical, além de ser a maior das espécies de tubarão, é o maior peixe conhecido, podendo crescer até cerca de 20 m e pesar mais de 13 toneladas. O animal é completamente inofensivo ao homem e alimenta-se de plâncton por filtração. Quando se explica que a maioria dos tubarões não são perigosos para os humanos, esta espécie é geralmente usada como o exemplo principal. Mergulhadores podem nadar ao redor do gigantesco peixe sem problema algum.

Tubarao baleia

 FONTE: http://animaisexoticos.zip.net/

Phromnia Rosea - Olhando rápido pode parecer que este tronco está com algum tipo de fungo ou flores coloridas. Mas olhando bem você vai ver que são vários insetos ali.

O segredo deste animais é sua organização quase militar em termos de posicionamento. Vistos a distância, eles parecem ser um único conjunto de folhas. Este animal é nativo das florestas de Madagascar.

Bicho folha. (Phillidae) O nome já diz tudo, né? Nos EUA são chamados de folhas vivas.

Esta família de insetos é bem vasta e variada, compreendendo animais que se assemelham a diversos tipos de folhas. A simulação chega a um grau de perfeição que as “folhas” contém lesões e recortes nas bordas, como uma folha de verdade que foi roída ou atacada por fungos.

Estes insetos são muito antigos, com fósseis registrados em tempos anteriores aos dinossauros! Prova que a camuflagem é bem eficiente.

apleafinsect080409sshgc8 Os mais incríveis insetos plantas

insectcamouflage01yl7 Os mais incríveis insetos plantas

Borboleta folhas  é nativa da Amazônia e engana bem que são duas folhas juntas. Esta aqui é a borboleta folha do tipo encontrado na serra do Japi, em SP. Incrível, né?


Outro mestre do disfarce é o Bicho-pau. (Phiblossoma phyllinum) Ele fica horas parado e geralmente passa batido. Seu corpo delgado e comprido engana bem como um pedaço de galho ou graveto sem folhas.

Inseto feio mas que se disfarça muito bem em troncos é o jequiranabóia amazônico. Basta olhar para este inseto para qualquer índio correr de medo. O troço tem cara de jacaré! Mas a verdade é que apesar da fama de assassino, este inseto é absolutamente inofensivo.  São duas espécies que compartilham o nome e características principais, como a cabeça de cobra-jacaré.

As mariposas costumam se disfarçar em cascas de arvores para desaparecer. Alguns exemplos clássicos do mimetismo usam as mariposas como exemplos:

insectcamouflage03hj5 Os mais incríveis insetos plantas

Alguns insetos usam a aparência das flores como seus meios de se ocultar.

south9468sfh287676cx8 Os mais incríveis insetos plantas

5713342mdbg5 Os mais incríveis insetos plantas

Sapo se camufla nas folhas.

Lagarto no parque Masoala, em Madagascar, que costuma viver entre folhas de palmeiras mortas e caça invertebrados à noite Leia Mais

Outro inseto com incrível aparencia que podem literalmente sumir dependendo do tipo de vegetação em que se encontra é o Louva-Deus. Existem inúmeras variedades de Louva-Deus, como os que parecem flores acima e os que parecem folhas caídas e até mesmo aqueles que simplesmente são confusos demais para o predador reconhecer um padrão.

Os grilos também costumam ser feras em se esconder.

FONTE: http://www.mundogump.com.br/os-mais-incriveis-insetos-plantas/

Peixes Venenosos

 
Com mais de 1.200 espécies, os peixes peçonhentos são bem mais numerosos que todas as cobras e invertebrados venenosos juntos. Os mais famosos peixes venenosos incluem o peixe-pedra,
o peixe-leão e o peixe-escorpião. Estes peixes têm a capacidade de produzir suas próprias toxinas e injetar veneno através de espinhas localizadas nas barbatanas, tentáculos ou ferrão. Mais de 50 mil ferimentos são registrados anualmente. Destes, a maioria é constituída de bolhas, mas se não forem tratadas a tempo, podem levar à morte.
 
(fonte:google)

Peixe-Pedra
O peixe-pedra é considerado o peixe venenoso mais perigoso. É encontrado em águas rasas nos Oceanos Pacífico e Índico, e mede entre trinta e sessenta centímetros. Sua dieta consiste principalmente em peixes pequenos e crustáceos. Sua cor marrom-esverdeada confere ao peixe-pedra a capacidade de se camuflar entre as pedras em recifes tropicais, transformando-o num alvo fácil de ser pisado acidentalmente por uma pessoa. A região dorsal tem espinhos que liberam uma toxina venenosa. Se ela for injetada em uma pessoa, causa dor intensa. Dependendo da profundidade da penetração no ferimento, pode ocorrer choque, paralisia e morte de tecidos. Se não for tratada nas primeiras horas, o nível de toxidade pode ser fatal para os seres humanos.
(fonte:www.discoverybrasil.com)

Peixe-leão
Por ser muito bonito, o peixe-leão é muito procurado por aquaristas do mundo todo. Marrom-avermelhado com listas brancas, apresenta nadadeiras longas com raios afilados e glândulas que contêm veneno em grande quantidade. É necessário cautela em seu manejo, pois um peixe adulto pode matar uma pessoa.Além disso, é um predador voraz, que consome qualquer peixe menor que ele. O lionfish, como é mais conhecido, adora peixes-palhaço, donzelas, gramma real, e qualquer peixe que caiba em sua avantajada boca. É muito interessante observar o animal alimentando-se, pois é um caçador nato; quando encontra sua presa, cerca-a e realiza quase que um hipnotismo: permanece imóvel, do ponto de vista da presa, mas pode-se observar intensa atividade da nadadeira caudal, usada no impulso mortal quando abocanha a vítima. Sua traquéia é toda revestida de espinhos, o que providencia uma morte rápida para a vítima até a chegada ao estômago. Em geral, ataca a vítima de frente, mas pode também pegá-la por trás, durante uma tentativa de fuga.
Quando adulto e sem inflar as nadadeiras, o peixe-leão mede até 38 centímetros.
É um dos mais venenosos entre os animais marinhos, e para piorar a situação, o peixe-leão não tem predadores no Atlântico, o que facilita sua reprodução e povoamento de novas áreas. Proveniente do Índico e do Pacífico e Mar Vermelho, o peixe-leão possui características únicas e inesquecíveis.(fonte:www.curiosidadeanimal.com)

Peixe Escorpião
 
 
  O peixe escorpião comum europeu só é bom para ser comido se faz parte de uma caldeirada de peixes; a não ser assim seu gosto desagradável. também sua aparência não agrada muito: além de feio, é perigoso. Os lados e o duro focinho são cobertos por espinhos e dobras de pele. Os primeiros raios de suas barbatanas anal e dorsal possuem ferroes venenosos. As glândulas venenosas pesam apenas alguns gramas mas seu veneno é perigoso. Também o muco que lhe cobre a pele é venenoso e pode fazer arruinar um simples arranhão.
  Alem do peixe escorpião comum existem duas outras espécies no mar Mediterrâneo, uma vermelha e outra castanha. Espécies aparentadas são encontradas em ambas as costas da América do Norte.
    São o peixe escorpião da Califórnia, no Pacifico, e o peixe farpado no Atlântico. Este ultimo é encontrado desde o Atlântico norte até o sul do Brasil.
Filo: Chordata
Superclasse: Pisces
Classe: Osteichthyes
Ordem: Perciformes
Família: Scorpaenidae
Características:
Comprimento: até 50 cm
Grandes bochechas carnudas suportadas por um osso especial
Olhos amarelos
Grandes barbatanas peitorais

 

Os tetraodontídeos mais conhecidos por peixe-balão compõem uma família da ordem dos peixes Tetraodontiformes. São conhecidos pela capacidade que tem de inchar o corpo, tipo um balão, quando se sentem ameaçados. Possuem pequenos espinhos, excluindo a espécie Lagocephalus laevigatus, que não possui nenhum espinho. Além desta protecção, também produzem uma substância tóxica, que lhes dá um sabor desagradável e pode ser mortal!
Usa a sua capacidade para aumentar rapidamente de tamanho para evitar ser comido por predadores. Tem um estômago elástico que lhe permite ingerir rapidamente água e ar, o que aumenta o seu tamanho várias vezes, o que faz com que os predadores não o consiga comer.
Existem cerca de 120 espécies deste peixe, que pode ser encontrado em águas tropicais, este peixe pode chegar a medir até aos 60 cm.
A sua alimentação consiste de algas, pequenos invertebrados, moluscos e marisco.
Um estudo feito nos EUA veio a revelar que o peixe-balão macho reproduz um som com a boca fechada, parecido com o zumbir das abelhas, para atrair a fêmea.

moreia.jpg

Moréias não são cobras marinhas, são peixes , com grande diversidade de cores e espécies, ocorrem em todos os mares e habitam preferêncialmente fundos de pedras e frestas em recifes de corais, de forma geral, apesar da carne saborosa, têm pouco interesse para a pesca esportiva. 

Comem polvos, crustáceos e peixes, geralmente têm habitos noturnos.

São muito conhecidas de mergulhadores, e ao contrário do que se divulga, não possuem presas venenosas e raramente oferecem perigo ao homem. Precisam ser realmente provocadas para morder. As maiores espécies chegam a 2,5 metros e a pesar mais de 15 kilos.

PLANTAS CARNÍVORAS

Nem toda planta cresce em solo rico em nutrientes. A falta de nutrientes, especialmente o nitrogênio, é um fator crítico que limita o crescimento das plantas de maneira geral.
Segundo biólogos, a palavra “carnívora” é uma maneira incorreta para se referir às plantas que comem insetos. Pois na verdade, as plantas carnívoras absorvem somente algumas substâncias dos insetos que ingerem, portanto, é mais correto chamá-las de insetívoras.

Mas há uma razão para este comportamento, acredita-se que uma planta com essa peculiaridade pode ser resultado de uma longa adaptação da espécie a um solo arenoso, ácido, pobre em nitrogênio ou com falta de outros nutrientes. Por esta razão, a planta carnívora sentindo essa ausência de nutrientes, começa a se alimentar de pequenos insetos para que estes forneçam as substâncias necessárias para ela sobreviver. Portanto, é uma questão de sobrevivência ao meio-ambiente em que ela se encontra.

Porém, devido ao processo evolutivo, hoje é possível ter exemplares dessas espécies em diversos ambientes, inclusive naqueles ricos em nitrogênio. É a folha da planta insetívora que come o inseto, e pode apresentar várias formas.

No caso da planta carnívora da espécie nepente, a folha parece uma urna, com pêlos voltados para baixo e uma coloração que atrai o inseto. Ao cair pela abertura superior, o inseto molha as asas num líquido acumulado no fundo e não consegue sair. A folha forma uma parede com pêlos rijos que também impedem que ele suba por ali, e o inseto acaba sendo absorvido pelo líquido que, por sua vez, é lentamente digerido pela planta.

A chamada pega-moscas (Dionea muscipula) possui a aparência mais assustadora entre as insetívoras. Em alguns filmes de terror, já apareceu comendo seres humanos (como no filme A Pequena Loja dos Horrores). Suas folhas, de formas arredondadas, apresentam longos pêlos nas bordas. As folhas ficam abertas como bocas famintas e quando o inseto pousa sobre elas, se fecham rapidamente, aprisionando-os. A planta leva dias para digerir e absorver a sua caça.

FONTE: http://www.universo42.com/curiosidades/curiosidades-sobre-plantas-carnivoras/

Plantas carnívoras são quase seres mitológicos. Às vezes vistas com muito medo, como monstros, algumas tem características assustadoras. Mas para os seres humanos, elas não oferecem o menor perigo. São belas, exóticas e muito curiosas.

Plantas Carnívoras

As plantas carnívoras despertam a admiração de muitos amantes da natureza e a curiosidade dos cientistas. São plantas que buscam os nutrientes para sua sobrevivência não na terra, mas em animais.

Algumas são tão grandes e assustadoras que conseguem ‘comer’ até pássaros de pequeno porte ou roedores. Sim! Acredite! Mas a maioria delas alimentam-se exclusivamente de insetos.

Elas tem sistemas altamente desenvolvidos para capturar as presas, evitar a entrada de elementos não desejados como água da chuva, por exemplo, e para digerir suas presas.

Confira fotos link externo de 10 plantas carnívoras curiosas e muito, muito exóticas.

Plantas Carnívoras
A primeira da lista, a dionaea, é a espécie de planta carnívora mais comum entre os cultivadores brasileiros. Ela é muito simples de ser cultivada, se dá muito bem no clima brasileiro e é muito fácil de se encontrar. Pode ser comprada até pelo Mercado Livre. Sua forma de ‘ataque’ é simples. Ela mantem a ‘boca’ aberta e espera que algum inseto desavisado se interesse. Ao entrar, ela simplesmente fecha e digere a vítima.
Foto link externo: Editora Globo link externo / Shutterstock

Plantas Carnívoras
As plantas carnívoras com aspecto de vaso são as mais comuns. As nephentes tem uma estrutura foliar desenhada para que insetos caiam dentro do ‘recipiente’ e não consigam mais sair de lá.
Foto: Editora Globo / Shutterstock

Plantas Carnívoras
A drosera rotundifolia é uma das mais belas e diferentes plantas carnívoras. Ela tem pequenos pelos glandulares nas folhas e estes tem nas pontas uma substância pegajosa que prende as vítimas.
Foto: Editora Globo / Shutterstock

Plantas Carnívoras
A utricularia reniformis se parece com outra planta qualquer, uma orquídea, por exemplo, mas o segredo dela é que sua armadilha está debaixo da terra.
Foto: Orquidário MV

Plantas Carnívoras

A Nepenthe raflesiana X gracilima é uma planta carnívora híbrida e uma das menores com aspecto de vaso. Pode chegar a 10 cm.
Foto: Orquidário MV

Plantas Carnívoras
Esta nephente é mais uma das plantas em forma de vaso, mas nesta fica bem clara a tampa que evita a entrada em excesso da água da chuva.
Foto: Editora Globo / Shutterstock

Plantas Carnívoras
A pinguicula esseriana é uma das menores de todas as plantas carnívoras. Ela é originária do México.
Foto: Orquidário MV

Plantas Carnívoras
Mas no México também tem plantas carnívoras enormes. A nephentes rajah é a maior planta carnívora do mundo. Ela não se alimenta apenas de insetos, mas também de anfíbios, pequenos roedores e até pássaros.
Foto: Reprodução / Divulgação

Plantas Carnívoras
Esta nephente tem uma tonalidade mais clara e prefere meia-sombra. Também tem formato de vaso e uma tampa para impedir a entrada excessiva da chuva.
Foto: Editora Globo / Shutterstock

Plantas Carnívoras
As sarracenias são umas das mais diferentes plantas carnívoras. Ela possui um néctar na borda da âfora que atrai os insetos.
Foto: Editora Globo / Shutterstock

FONTE: http://www.putsgrilo.com/curiosidades/as-10-plantas-carnivoras-mais-exoticas-e-curiosas-do-mundo/

Plantas Carnívoras – Fotos e Curiosidades - Plantas Carnivoras – Fotos e Curiosidades FOTO 4

Quando falamos em planta carnívora imaginamos aquelas plantas enormes de filme e que comem pessoas, mas não é nada disso.

As plantas carnívoras são conhecidas por se alimentarem através da captura de insetos e não de carne como muitas pessoas acreditam, o nome carnívora foi dado devido ao fato dela ser diferente de todas as outras plantas, se alimentando de seres vivos, mas são totalmente inofensivas para os seres humanos.

Elas são originárias do sudeste de Ásia, América e Austrália.

E extraem compostos de nitrogênio dos animais capturados para seu sustento próprio.

Existem cerca de 500 espécies de plantas carnívoras, mas apenas um tipo delas, que pode ser encontrada na Indonésia, pode ser realmente considerada uma planta carnívora, pois ela se alimenta de pássaros pequenos, sapos, lagartos e outros animais de pequeno porte.

O perfume de algumas plantas carnívoras é um dos principais meios delas atraírem os insetos.

Eles são atraídos pelo aroma e quando percebem já estão presos numa espécie de gosma que elas possuem.

Outras já atraem os insetos através do brilho dessa gosma e algumas espécies abrem e fecham prendendo os insetos em seu interior.

Depois de capturados elas envolvem o inseto com suas substâncias e retiram dele os nutrientes que não podem ser encontrados no solo, e que são necessários para sua sobrevivência.

Quer cultivar uma planta carnívora em casa?

Para quem quer ter uma planta carnívora em casa, poderá encontrá-las em floriculturas da sua cidade ou em diversas floriculturas online, você pode comprar a semente ou a planta já crescida e os preços variam de acordo com cada espécie.

Se for comprar em supermercados, procure comprar no dia em que elas são colocadas nas prateleiras, pois os funcionários não costumam dar a assistência necessária que esse tipo de planta precisa, como água, luminosidade, etc.

Saiba que elas são muito bonitas e você poderá cultivá-la sem medo.

As plantas carnívoras despertam a admiração de muitos amantes da natureza e a curiosidade dos cientistas.

São plantas que buscam os nutrientes para sua sobrevivência não na terra, mas em animais.

Algumas são tão grandes e assustadoras que conseguem ‘comer’ até pássaros de pequeno porte ou roedores.

Sim! Acredite! Mas a maioria delas alimenta-se exclusivamente de insetos.

Elas têm sistemas altamente desenvolvidos para capturar as presas, evitar a entrada de elementos não desejados como água da chuva, por exemplo, e para digerir suas presas.

Plantas Carnívoras – Fotos e Curiosidades - Plantas Carnivoras – Fotos e Curiosidades FOTO 2

FONTE: http://www.sempretops.com/curiosidades/plantas-carnivoras-fotos-e-curiosidades/

Plantas Carnívoras – Fotos e Curiosidades - Plantas Carnivoras – Fotos e Curiosidades FOTO 7

Plantas Carnívoras são plantas altamente adaptadas ao meio onde vivem, áreas com solo pobre e com carência de nitrogênio. Através de substâncias químicas produzidas pelas plantas, os tecidos dos pequenos insetos capturados são transformados em nitritos e nitratos que em seguida são absorvidos pelo vegetal.

São diversas as formas e cores dessas plantas magníficas, cada uma com características super interessantes.

Este gênero abrange cerca de oito espécies, nativas da América do Norte. Em geral, são encontradas em pântanos, lugares encharcados e nas margens de florestas de pinheiros. Dessas espécies, seis apresentam o mesmo formato tubular ereto; enquanto as armadilhas da Sarracenia purpurea e dar Sarracenia psittacina nascem horizontalmente rentes ao solo. Foi Classificado pelo botânico francês Tounerfort, em 1700, que batizou o gênero em homenagem a Michael Sarrazin, a pessoa que lhe enviou o primeiro exemplar desta planta.

As armadilhas, que em algumas espécies podem atingir quase 1 metro de altura, são folhas transformadas em jarros atraentemente coloridos. As sarracênias capturam os insetos num processo semelhante desenvolvido pelas nepentes.

A forma utilizada para captura de insetos é a seguinte:

O odor emitido e a cor dessas folhas adaptadas atraem o inseto para a borda do “jarro”, este se já se encontra umedecido com uma substância viscosa, o inseto ao pousar na borda escorrega para dentro onde esta armazenada uma substancia química que ira reagir com os tecidos do inseto. Se o inseto tentar subir as paredes internas da folha, não conseguirá, pois esta se encontra cheia de pêlos voltados para baixo impedindo assim a subida do animal.

As plantas carnívoras são aquelas que realizam atração, captura e digestão de presas. Hermafroditas, elas se repoduzem por sementes. Crescem normalmente em lugares inóspitos e úmidos como montanhas e pântanos. Justamente por isso, elas complementam sua alimentação (feita através da fotossíntese como todas as plantas) com as proteínas animais das presas, grandes fontes de nitrogênio, que compensam o que não pode ser retirado do solo pobre e ácido onde crescem. Suas vítimas são insetos e pequenos animais, como pererecas, pássaros e roedores. Essas predadoras possuem folhas modificadas como armadilhas, muitas em cores brilhantes e cheiro de néctar para melhor atrair as presas. Encontradas em quase todo o planeta, menos na região dos pólos, as carnívoras medem geralmente de um a três centímetros, apesar de haver algumas que podem chegar a um metro. O Brasil perde apenas para a Austrália no ranking de maior diversidade de espécies de plantas carnívoras apresentando 80 diferentes tipos.

FORMIGAS

 

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA: 

Reino: Animalia 
Filo: Arthropoda 
Classe: Insecta 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

  • Cabe a formiga rainha a função de reprodução da colônia. A rainha pode viver até 18 anos

  • As formigas são insetos que  sentem o cheiro das coisas através de suas antenas

  • Num formigueiro existe total organização, sendo que as tarefas são bem divididas entre as formigas

  • Alimentam-se principalmente de sementes e restos vegetais 

  • Comunicam-se entre si através de liberação de feronomas (compostos químicos)

  • Algumas formigas podem picar e passar um tipo de ácido que pode irritar a vítima. 

  • Além da rainha, num formigueiro existem  as sentinelas (segurança), operárias (fazem os túneis do formigueiro e buscam alimentos) e as enfermeiras (cuidam das larvas)

  • O acasalamento da formiga rainha acontece num vôo nupcial. Após a fecundação o macho morre e a rainha perde as asas antes de botar os ovos.


CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS
:

Comprimento: em média 1 cm
Cor: depende da espécie, mas a maioria são vermelhas ou pretas
Quantidade de espécies: mais de 10.000 espécies catalogadas

 FONTE: saude animal

Como funcionam as formigas

 
  formigas  

As formigas são conhecidas pelas sociedades complexas nas quais a maioria delas vive. São muitas vezes mencionadas como símbolo de parcimônia e de esforço, porque muitas de suas espécies parecem exercer atividade incansável, e porque elas armazenam grande volume de comida. O estudo das formigas atrai os naturalistas desde a antiguidade. Crianças muitas vezes mantêm formigueiros para observar suas atividades. Há formigas em quase todas as regiões do mundo, exceto as polares.

As formigas que vivem no subsolo criam túneis que permitem a circulação de ar pela terra, e isso torna a terra mais produtiva e beneficia a agricultura. Algumas espécies de formigas matam insetos nocivos que destroem plantações. Muitas espécies de formigas são nocivas; invadem casas e armazéns em busca de comida e podem destruir plantas, incluindo safras alimentícias. Inseticidas químicos são usados para matar formigas. 

Descrição

Corpo

O comprimento das formigas varia de 1,6 mm a quase 5 cm. A maioria das espécies são vermelhas, negras, marrons ou amarelas, mas existem algumas verdes ou de um azul metálico. E, como outros insetos, elas têm seis patas. Os corpos se dividem em três segmentos distintos: cabeça, tórax e abdômen. Ao contrário de outros insetos, as formigas têm antenas articuladas (e não retas ou recurvas), e um pedicelo, um estreitamento do corpo entre o tórax e o abdômen. O bucho, um órgão localizado no abdômen, é usado para armazenar comida, que mais tarde pode ser regurgitada para alimentar outros membros da colônia.

A maioria das formigas têm corpos lisos, ainda que algumas apresentam projeções espinhosas. As formigas têm fortes mandíbulas adaptadas para matar, esmagar, mastigar, cortar ou dilacerar, dependendo da espécie e daquilo que ela coma. Algumas espécies de formigas dispõem de glândulas que produzem ácido fórmico, um forte ácido que pode ser lançado contra inimigos, causando queimadura ou coceira. Muitas formigas dispõem de ferrões que contêm veneno, e algumas, como a formiga lava-pés e a colheitadeira, podem infligir picadas dolorosas e ocasionalmente fatais aos seres humanos e outros animais.

Formiga
©2009 HowStuffWorks

Por que as formigas têm cinturas finas?

As formigas têm cinturas finas para que possam mover as porções separadas de seu corpo com mais liberdade em passagens estreitas. Isso permite que elas se contorçam em diferentes direções, característica importante para o movimento em um formigueiro.

Elas têm três porções principais de corpo: cabeça, tronco e o abdômen. Os olhos, antenas e mandíbulas da formiga ficam em sua cabeça.

Afixadas ao tronco, existem seis pernas segmentadas. Cada perna dispõe de um pé com duas garras. As garras se aferram à terra, cascas de árvore ou folhas, de modo que as formigas podem caminhar, galgar e escavar rapidamente. As formigas também são fortes. Muitas delas são capazes de erguer pesos 50 vezes superiores aos de seus corpos.

O abdômen tem duas partes – a cintura e o gáster. Os órgãos que cuidam da digestão, da eliminação de dejetos e da reprodução ficam no gáster. Algumas espécies de formigas têm um ferrão no extremo do gáster como defesa contra outros insetos.

Onde vivem as formigas?

Existem cerca de 10 mil espécies de formigas. Por isso, não surpreende que as formigas, como milhões de outros insetos sociais, vivam em todo o mundo, exceto nas regiões mais frias. De fato, as áreas com climas mais úmidos e quentes abrigam o maior número de formigas e outros insetos.

As florestas tropicais apresentam grande riqueza de insetos. Se todos os animais que habitam a selva amazônica fossem pesados, muitos cientistas acreditam que formigas e cupins responderiam por um terço do peso total.
As formigas apresentam forte capacidade de sobrevivência. Elas apresentam diferentes formas de vida que permitem que vivam em diferentes habitats. E seu pequeno tamanho lhes torna fácil encontrar alimento e abrigo.

Sentidos

O sentido mais desenvolvido da formiga é o do faro. As formigas dispõem de glândulas abdominais que excretam diversos feromônios, substâncias químicas que causam reações específicas da parte de outros indivíduos. Os feromônios atuam como alarme, como forma de atração sexual e como marcadores de caminhos, e ajudam indivíduos a se reconhecer. As formigas têm um senso bem desenvolvido de paladar, e são capazes de distinguir entre sabores amargos, doces, azedos e salgados. Elas também têm um senso de tato desenvolvido. Os receptores tácteis se localizam nos pés e nos pêlos da perna. As antenas são usadas para determinar cheiro e sabor, e para tocar objetos.

Algumas espécies de formigas apresentam olhos compostos e visão bem desenvolvida, enquanto outras têm olhos simples que só podem distinguir entre claro e escuro. Existem algumas espécies de formigas cegas.

Hábitos

Lares

As formigas normalmente instalam seus ninhos no chão. A terra escavada para fazer o ninho pode ser empilhada ao lado da abertura, formando um monte. O ninho é composto de diversos túneis longos que conduzem a câmaras. As câmaras servem como área de armazenagem de comida e como berçários para os filhotes.

Algumas formigas vivem na madeira de árvores ou troncos apodrecidos. As formigas trabalhadoras de uma espécie arbórea fazem ninhos tecendo folhas que unem por meio de fios de seda excretados por suas larvas. Algumas formigas têm territórios bem definidos e constroem ninhos permanentes. Outras são nômades, construindo ninhos novos a cada deslocamento. Algumas formigas compartilham seus ninhos com formigas de espécies diferentes e ocasionalmente com outras espécies de insetos, ou com aranhas. Algumas formigas fazem seus ninhos em moradias humanas, especialmente em painéis de revestimento de madeira ou fundações.

Alimentos

Algumas espécies de formigas comem insetos vivos enquanto outras se alimentam apenas de matéria animal em decomposição. Outras cultivam e comem fungos. Algumas formigas recolhem sementes e grãos para se alimentar. Diversas espécies de formigas cuidam de “rebanhos” de afídeos e insetos escamosos para obter o líquido açucarado que eles excretam.

O que mais as formigas comem?

As formigas comem frutas, flores e sementes, e algumas delas comem qualquer coisa que encontrem pelo caminho, como pequenos animais.

Elas têm componentes bucais especiais para apanhar e comer alimentos. Primeiro vêm as mandíbulas, que se movem lateralmente. As formigas usam as mandíbulas para segurar comida, carregar filhotes e combater inimigos. Atrás das mandíbulas ficam as maxilas, usadas para mastigar. Mas as formigas não engolem os alimentos diretamente. Primeiro ele vai para um bucho, uma espécie de bolsa na traseira da boca. Lá, o conteúdo líquido do alimento é extraído por compressão. As formigas engolem o líquido e cospem os resíduos de alimento.

As formigas têm duas espécies de estômagos – o estômago em si e o bucho. A comida que uma formiga come para si mesma vai para o estômago. A comida que ela divide com outras formigas fica no bucho. Elas cospem essa comida para alimentar larvas e outras formigas. Formigas famintas podem acariciar outras formigas ou tocá-las com as antenas para pedir comida. 

Tipos de formigas

Existem cerca de 10 mil espécies de formigas. Muitas delas são bem conhecidas dos seres humanos, ainda que diversas outras sejam vistas raramente, porque vivem quase completamente no subsolo, ou saem à superfície apenas para procurar alimentos, à noite. Entre as formigas interessantes ou incomuns, temos as seguintes:

Formiga de cupim

Essa espécie constrói ninhos e túneis em madeira morta, árvores, postes e no madeirame de edifícios. Ainda que não comam a madeira, elas podem causar estragos consideráveis. Elas são encontradas em regiões de clima temperado de todo o mundo. As trabalhadoras da espécie estão entre as maiores formigas conhecidas. A formiga de cupim preta é a maior encontrada nos Estados Unidos. As trabalhadoras tem cerca de 1,3 cm de comprimento e as rainhas chegam a 2,5 cm. Essa formiga ocasionalmente entra nas casas em busca de alimentos doces.

Formigas legionárias

Essa espécie transfere seus formigueiros a cada duas ou três semanas. São encontradas principalmente na África e na América tropical. Diversas espécies são encontradas no sul e sudoeste dos Estados Unidos. As formigas legionárias são predadoras, e suas tropas de busca de alimentos são conhecidas por exterminar insetos, lagartos e pequenos animais. O ferrão das legionárias é muito venenoso, e são conhecidos casos em que mataram galinhas e animais maiores. As legionárias se dividem entre diversos tipos diferentes de trabalhadoras, entre as quais soldados. As formigas soldado são maiores do que outras trabalhadoras, e têm mandíbulas fortes e dotadas de ganchos.

As formigas legionárias são nômades; seus movimentos se relacionam ao desenvolvimento de sucessivas ninhadas. Quando os ovos estão sendo postos e depois se tornam larvas, a colônia se mantém imóvel. Ao longo do período, a geração evolui de pupas para adultos. O formigueiro todo então se transfere ao próximo local, por meio de um túnel construído pelas trabalhadoras e coberto de folhas. As larvas são transportadas ao novo local nas bocas de algumas das trabalhadoras.

Que formigas estão em movimento?

As formigas legionárias estão quase sempre em movimento. Não constroem ninhos permanentes. Marcham sempre em frente, transportando os filhotes e procurando comida. Matam e comem qualquer coisa que encontrem. Isso em geral inclui aranhas e outros insetos. Mas, em alguns casos, elas tomam como presas animais maiores que não consigam escapar rapidamente.
A cada noite, o exército de formigas para para repousar. Elas se unem e formam um núcleo em um galho de árvore ou tronco. A rainha e os filhotes em desenvolvimento ficam no centro do grupo, onde estão protegidos.
Quando a rainha está pondo ovos, o grupo todo de formigas legionárias acampa no mesmo lugar a cada noite. Eles ficam no acampamento temporário até que todos os ovos se desenvolvam na forma de larvas ativas. Quando as larvas começam a crescer, o grupo se transfere a um novo local a cada noite.

Formigas
©2009 HowStuffWorks

Formigas lava-pés

Espécie nativa da América do Sul, mas hoje também encontrada no sul dos Estados Unidos. Elas comem diversos alimentos, entre os quais frutas, legumes e insetos. As formigas lava-pés têm uma picada dolorosa, que produz uma sensação de queimadura. Exércitos dessas formigas já foram responsáveis pela morte de animais do porte de vacas. Elas são consideradas uma peste agrícola, porque destroem plantas alimentícias em desenvolvimento. As formigas lava-pés cobrem seus formigueiros com pilhas de terra sólida, algumas das quais com 60 cm de altura. Entram e saem por diversos túneis escavados no monte.

Formigas criadoras de fungos

Essas espécies existem apenas no Novo Mundo e cultivam uma certa espécie de fungo como alimento. Algumas espécies de formigas criadoras de fungos cortam folhas de árvores e outras plantas e as carregam para seus ninhos. Mastigam as folhas e formam uma polpa que usam como base para cultivar fungos. Elas costumam ser conhecidas como formigas corta-folhas. Também são conhecidas como formigas guarda-sol, porque seguram as folhas por sobre as cabeças quando as transportam. Algumas formigas criadoras de fungos constroem seus jardins com excrementos de outros insetos. 

Que formigas cultivam fungos?

As formigas corta-folhas são agricultoras que cultivam sua comida em jardins subterrâneos. A comida que cultivam é um fungo, uma espécie de mofo. Elas fertilizam seus jardins de fungos com pedaços de folhas.

As formigas corta-folhas constroem imensos formigueiros. Seus ninhos podem ter mil câmaras e se estender a profundidades de até seis metros. Lá dentro, até um milhão de formigas podem estar trabalhando.

Formigas pequenas e grandes são necessárias para cultivar o fungo. As formigas trabalhadoras maiores saem à noite para recolher folhas, e usam suas mandíbulas longas e dotadas de ganchos para cortá-las. Depois, marcham de volta ao ninho, segurando as folhas por sobre a cabeça. Por esse motivo elas algumas vezes são chamadas de formigas guarda-chuva ou formigas guarda-sol.

Dentro do ninho, formigas menores mastigam as folhas e formam uma polpa, ou pasta e colocam essa pasta sobre os fungos. Mais tarde, pequenas formigas colhem o fungo e alimentam a colônia.

Formigas
©2009 HowStuffWorks

Formigas colheitadeiras

A espécie recolhe e armazena certas sementes de gramíneas selvagens ou de grama cultivada. Reúnem sementes recolhidas de plantas e apanhadas do solo e as armazenam em câmaras subterrâneas. Nos dias de sol, as levam à superfície para secar. Há diversas espécies de formigas colheitadeiras, em regiões temperadas e subtropicais. Elas podem infligir mordidas e picadas doloridas.

Formigas do mel

As formigas do mel usam uma variedade de trabalhadoras, chamadas repletes, como vasos vivos de armazenagem de alimentos. Elas recolhem néctar de plantas ou o fluido excretado por outros insetos que se alimentam de néctar, e alimentam as demais trabalhadoras com isso. As repletes se abastecem até que seus abdômens se distendam em tamanho muitas vezes superior ao normal, o que as impede de se mover. Ficam penduradas do teto das câmaras de alimentação e distribuem alimento por regurgitação às demais formigas, nas temporadas de seca, quando comida e água são escassos. Existem diversas espécies de formiga do mel. Vivem no sudoeste dos Estados Unidos, no México, na Austrália, na Nova Guiné e em partes da África.

Que formigas criam afídeos?

Há formigas “pecuaristas”, que criam afídeos (pulgões) – da mesma maneira que as pessoas criam gado! As formigas mantêm os afídeos juntos e os protegem contra outros insetos. E por que as formigas o fazem? Porque os afídeos produzem uma essência açucarada de que as formigas realmente gostam. Os afídeos são pequenos insetos que sugam sucos das plantas e excretam o excesso como essência. As formigas se alimentam dessa essência. Usam suas antenas para tocar os afídeos, levando-os a produzir mais do líquido doce, açucarado.

Elas cuidam bem dos afídeos. O rebanho é transferido caso os afídeos precisem de plantas melhores com as quais se alimentar. Elas até armazenam ovos de afídeos durante o inverno a fim de criar um novo rebanho na primavera. Uma jovem rainha também pode levar consigo um afídeo fértil quando começa uma nova colônia. Ela carrega o afídeo em suas mandíbulas.

 
 

Formigas negras

Pequenas formigas negras são nativas dos Estados Unidos, e vivem na maioria das regiões do país. São encontradas em casas, em rachaduras nas calçadas e em gramados. As pequenas formigas negras são atraídas pelos alimentos humanos, especialmente carnes cozidas e legumes, e qualquer coisa que contenha açúcar. Mantêm-se ativas de dia e de noite, e são vistas muitas vezes transportando alimentos de volta a seus ninhos.Formigas escravocratasEssas formigas atacam os ninhos de outras espécies de formigas e capturam larvas e pupas, que se transformam em trabalhadoras escravas em seus formigueiros quando se tornam adultas. Algumas das espécies de formigas escravocratas podem viver sem escravos, se necessário. Outras são completamente dependente deles, e não são capazes de executar sozinhas as tarefas de suas colônias. As formigas escravocratas estão distribuídas amplamente por todo o mundo.Que outras formas de vida as formigas levam?As formigas levam muitas formas de vida diferentes. As colheitadeiras recolhem sementes e as armazenam em câmaras especiais. Quando as colheitadeiras precisam de comida, mastigam as sementes e produzem uma polpa conhecida como pão de formiga. Elas comprimem o líquido desse pão e o engolem como alimento.As formigas do mel armazenam seu alimento, uma essência doce, em trabalhadoras especiais. Elas armazenam tanto alimento em seus gásters que se tornam incapazes de movimento. Pendem do teto do ninho e cospem a essência quando as demais formigas as tocam com as antenas.As formigas escravocratas roubam pupas de outros formigueiros e as criam no seu. Quando as pupas se desenvolvem, trabalham para o formigueiro, construindo túneis e alimentando as escravocratas.

As formigas tecelãs constroem ninhos de folhas. Para fazê-lo, algumas trabalhadoras seguram as laterais de uma folha, trabalhando juntas, e outras carregam larvas produtoras de fios de seda e as passam pelas bordas das folhas, para “costurá-las” juntas.

Os insetos sociais estão em perigo?

Em termos genéricos, os insetos sociais não estão em perigo. Existem milhões deles, e se reproduzem com tal rapidez que a extinção não é um perigo. Mas eles enfrentam certos riscos.

As pessoas muitas vezes usam produtos químicos fortes para controlar pragas de insetos, Esses pesticidas podem ser perigosos para outros animais, plantas e para a terra. Destroem tanto os insetos daninhos quanto insetos benéficos.

Mudanças no ambiente afetam os insetos. Mas existem milhões e milhões de insetos sociais. Eles rastejarão, caminharão e voarão por ainda muito tempo.

As formigas são parte da família Formicidae, da ordem de insetos Hymenoptera, que inclui também as abelhas e vespas. Um exemplo de genus é o Camponotus, das formigas de cupim. No caso das formigas legionárias, o genus é o Eciton; no das formigas lava-pés, é o Solenopsis; no das formigas que cultivam fungos, Atta; no das colheitadeiras, Pogonomyrmex; no das formigas do mel, Myrmecocystus; no das formigas escravocratas, Polyergus. As pequenas formigas pretas constituem o genus Monomorium minimum.

 

O formigueiro

As formigas são animais sociais, que vivem em grandes formigueiros. Estes se dividem normalmente nas seguintes castas: as rainhas (fêmeas reprodutoras); os machos; e as formigas trabalhadoras (fêmeas não reprodutoras). Embora existam grandes variações em estrutura social entre diferentes formigueiros, certas características básicas são comuns à maioria das espécies.

O que é um inseto social?

Formigas, cupins, muitas abelhas e algumas vespas têm verdadeiras vidas familiares. Vivem em comunidade e os membros da comunidade dependem uns dos outros. Existem mais de um milhão de espécies, ou tipos de insetos no mundo. Entre eles estão os besouros, grilos, borboletas e moscas. Há insetos de muitas formas, tamanhos e cores diferentes. Mas existem algumas coisas que todos os insetos têm em comum. Todos eles têm seis pernas e corpos que se dividem em três partes principais. Todos eles têm coberturas duras, como cascas, sobre seus corpos. E a maioria, mas não todos, tem asas. Formigas, cupins, abelhas e vespas podem se parecer muito com esses outros insetos. Mas, como insetos sociais, levam vidas muito distintas.

Por que as formigas são insetos sociais?

As formigas são insetos sociais porque vivem e trabalham juntas em comunidades. Aqui, elas se alimentam e protegem umas às outras. Criam e cuidam de seus filhotes. Essa forma de vida difere muito da adotada pelos insetos solitários, que passam a maioria, ou ocasionalmente, todas as suas vidas sozinhos. Uma comunidade de formigas é conhecida como formigueiro. A vida em um formigueiro é altamente organizada. Cada membro tem uma função a cumprir, de colocar ovos a reunir alimentos, e lutar. Para a maioria das formigas, a vida do formigueiro tem por centro o ninho. O ninho pode ser subterrâneo; estar localizado em um monte de terra; ou até mesmo no topo de uma árvore. Quando as formigas constroem um ninho, a terra empilhada em torno da entrada forma um formigueiro. Um formigueiro é um lugar muito ativo, e pode ser muito lotado. Podem existir centenas, milhares ou até milhões de formigas em um mesmo formigueiro.

Castas sociais

 Alguns formigueiros têm uma rainha; outros têm diversas; as rainhas são alimentadas e atendidas em outras necessidades pelas trabalhadoras. A única função dos machos é o acasalamento com as rainhas. As trabalhadoras executam tarefas como ampliar e proteger o ninho, cuidar das rainhas e dos filhotes e obter provisões. Pode existir apenas um tipo de trabalhadora ou tipos diversos, com estruturas corporais especializadas para determinadas formas de trabalho. A atividade das trabalhadoras é coordenada em larga medida por feromônios e contato corporal. Dependendo da espécie, rainhas vivem entre cinco e 30 anos, o que as torna os insetos mais longevos. As trabalhadoras vivem entre um e três anos. Os machos só vivem por uma temporada de acasalamento.

Quem é quem no formigueiro

Como a maioria dos insetos sociais, as formigas têm três castas, ou classes. Há as formigas-rainhas, as trabalhadoras e os machos. Uma rainha não governa o formigueiro, mas é um membro importante. Ela só tem uma função – pôr ovos. Sem ela, o formigueiro morre. A razão é que, na maioria das espécies de formigas, apenas as rainhas são capazes de se reproduzir. Também têm a vida mais longa -10 a 20 anos. Um formigueiro pode ter uma ou mais rainhas. Um formigueiro de formigas da madeira europeia pode ter centenas de rainhas, por exemplo. As formigas trabalhadoras podem ser as menores, mas fazem a maior parte do trabalho. Todas são fêmeas. Cuidam da rainha e dos filhotes. As trabalhadoras constroem e reparam o ninho. Procuram comida e enfrentam inimigos. A maioria dos machos vive apenas algumas semanas ou anos. Eles não trabalham e morrem pouco depois de copular com as jovens rainhas.

Qual é a aparência de um ninho de formigas?

A maioria das espécies de formigas constrói ninhos subterrâneos. As trabalhadoras escavam túneis e câmaras, ou salas, na terra. À medida que o formigueiro cresce, elas acrescentam mais túneis e câmaras ao ninho. Os formigueiros podem ser bastante grandes. Algumas formigas tropicais constroem para baixo, para aumentar o espaço. Os formigueiros podem se estender por seis metros no subsolo. Outras, como as formigas da madeira europeia, constroem para cima. Fazem grandes montes de terra que podem atingir 1,5 metro de altura. Depois, elas conectam os montes com trilhas odoríferas. O grupo de ninhos pode cobrir uma área de tamanho semelhante ao de uma quadra de tênis. Milhões de formigas podem viver nesses formigueiros. As câmaras em um ninho têm funções diferentes. A rainha tem uma câmara própria para colocar ovos. Algumas câmaras servem de berçários aos filhotes. Há câmaras para armazenar alimentos. Outras câmaras servem de local de repouso às trabalhadoras esforçadas!

Criando um formigueiro

Em geral uma vez por ano, um formigueiro produz uma geração de rainhas e machos. As rainhas se desenvolvem de larvas alimentadas com uma substância altamente nutritiva excretada pelas trabalhadoras. Os machos se desenvolvem de ovos não fertilizados. As rainhas e machos têm asas; eles deixam o ninho em uma série de grandes enxames, conhecidos como voos nupciais. Cada enxame consiste ou só de rainhas ou só de machos. As formigas viajam para outras áreas a fim de se acasalar com formigas de outros formigueiros. Os machos morrem depois do voo. As rainhas caem ao chão, soltam as asas e procuram por um lugar para pôr ovos. Depois de uma única cópula, uma rainha pode pôr ovos fertilizados por diversos anos. Os ovos não fertilizados em geral são postos em algum momento da primavera ou verão. Os ovos se desenvolvem na forma de larvas, as larvas se tornam pupas e as pupas se tornam formigas adultas – processo conhecido como metamorfose completa. A rainha cuida da sua primeira ninhada de crias quando elas ainda são larvas e pupas. Essa geração consiste apenas de trabalhadoras, que em seguida assumem os deveres de cuidar da rainha e das ninhadas subsequentes.

Como uma formiga rainha dá início a um formigueiro?

A maioria das espécies de formigas começa um formigueiro da mesma maneira. Uma formiga rainha nasce em um formigueiro mas o deixa para formar nova comunidade. À medida que as jovens rainhas crescem, elas desenvolvem asas. Algumas semanas depois de se tornarem adultas, as jovens rainhas deixam seus ninhos e se acasalam com machos também alados. As rainhas então soltam suas asas e começam a procurar locais para ninhos. Quando uma jovem rainha encontra um bom local para um ninho, ela constrói uma câmara e se sela em seu interior. Depois, começa a pôr ovos. A rainha cuida dos ovos, que se desenvolvem em forma de larvas e em seguida pupas. Ela alimenta os filhotes com sua saliva. Durante esse período, ela mesma não come. Seu corpo absorve como alimento os músculos das asas que se tornaram desnecessários. Os ovos se desenvolvem na forma de pequenas formigas trabalhadoras. Algumas dessas trabalhadoras deixam o ninho para encontrar alimentos para a colônia. Outras ampliam o ninho. A rainha põe mais ovos. A maioria destes se desenvolve na forma de trabalhadoras. Outros se desenvolvem como machos e rainhas jovens.

O que fazem as formigas trabalhadoras?

As formigas trabalhadoras trabalham e trabalham, arduamente. Todas são fêmeas. Mas raramente se tornam rainhas ou se reproduzem. Em lugar disso, cuidam das rainhas, dos filhotes e do ninho. Sem as trabalhadoras, um formigueiro não poderia sobreviver. Elas podem executar uma ou diversas funções. Podem manter o mesmo posto por toda a vida ou mudar de emprego ocasionalmente. Algumas trabalhadoras recolhem alimentos para o formigueiro. Armazenam a comida que colhem em câmaras especiais no ninho. Outras trabalhadoras alimentam e cuidam da rainha e dos filhotes em desenvolvimento. Ainda outras constroem as câmaras e túneis. Usam sua saliva para endurecer as paredes de terra do formigueiro. Algumas das formigas trabalhadoras são soldados. Defendem o formigueiro. Em muitas espécies, as formigas soldado são maiores que as demais trabalhadoras. Elas combatem formigas ou outros insetos inimigos. Também podem usar suas grandes cabeças para bloquear a entrada de um ninho.

Quem cuida dos ovos?

As formigas passam por quatro diferentes estágios de crescimento: ovo, larva, pupa e formiga adulta. As trabalhadoras cuidam dos filhotes em cada estágio. Depois que uma rainha põe ovos, as trabalhadoras os transportam às câmaras de chocagem. Lá, elas cuidam dos ovos e muitas vezes os mantêm limpos com lambidas. Em poucos dias os ovos geram larvas. No estágio de larva, as formiguinhas se parecem com minúsculos vermes brancos. As formigas trabalhadoras transportam as larvas para novas câmaras e as alimentam por algumas semanas até que se tornem pupas. Em algumas espécies, as larvas tecem casulos antes de se tornarem pupas. Em outras, as pupas estão recobertas apenas por uma pele fina e transparente. As pupas não comem ou se movem. Mas mudam. Em duas ou três semanas, as formigas adultas saem dos casulos ou da pele. Agora, estão prontas para trabalhar!

Como as formigas reconhecem umas às outras?

As formigas de um formigueiro tem um odor especial que as ajuda a reconhecer umas às outras. As forasteiras ou inimigas têm odores diferentes. As formigas soldado farejam esses invasores e os matam. As formigas não têm ouvidos. “Ouvem” vibrações por meio de seus órgãos sensórios. As antenas da formiga são seu órgão sensório mais importante. As formigas usam as antenas para cheirar, tocar, saborear e ouvir. É fácil compreender por que as antenas de uma formiga estão sempre se mexendo. As antenas ajudam as formigas a encontrar e provar comida. Ajudam-nas a reconhecer e tocar umas às outras. As antenas até ajudam as formigas a encontrar o caminho que procuram. A maioria das formigas dispõe de dois olhos compostos. Um olho composto tem diversas lentes (o olho humano só tem uma lente.) Por causa das lentes compostas, as formigas veem as coisas em fragmentos, como em um caleidoscópio. Elas são melhores em perceber movimentos do que em perceber formas.

FONTE: http://ciencia.hsw.uol.com.br/formiga4.htm

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.